Orgânicos em alta: participantes do projeto Produtor Orgânico concluem o primeiro módulo

Agronegócio

Orgânicos em alta: participantes do projeto Produtor Orgânico concluem o primeiro módulo

Florestal foi a cidade escolhida para receber o projeto-piloto Produtor Orgânico, capacitação do Programa Formação Por Competência do Senar Minas.
726 acessos

Florestal foi a cidade escolhida para receber o projeto-piloto Produtor Orgânico, capacitação do Programa Formação Por Competência do Senar Minas. O módulo básico teve carga horária de 48 horas e foi ministrado pelo especialista em Produção Orgânica Rafael Paiva Izidoro. Entusiasmada e participativa, a turma formada por 13 alunos das cidades de Betim, Florestal e Pará de Minas trabalhou neste primeiro momento a introdução à produção orgânica, saúde e segurança no trabalho, legislação ambiental, noções de informática e utilização do GPS na produção.

Desde que se aposentou, em 2014, o operador de processos industriais Antônio Roberto de Morais decidiu investir na apicultura e no cultivo das plantas medicinais. Morador de Betim, ele conta que a sua família é de origem rural e sempre priorizou a produção de alimentos sem agrotóxicos. “Herdei este cuidado e consciência deles. Como cultivo plantas medicinais, se não forem orgânicas se tornam veneno”, enfatiza.

Aluno dedicado, ele diz que seu principal objetivo é aprender as técnicas de produção para conquistar a certificação de produto orgânico. “Hoje meu produto é considerado apenas sem agrotóxico e, sem dúvida, a certificação irá agregar valor à minha produção”, planeja Morais. Dessa primeira fase, ele destacou o conteúdo de informática e a utilização do GPS. “Confesso que começamos bastante inibidos por não conhecermos muito de informática, mas a experiência foi boa e até criamos um grupo no Facebook. Em relação ao GPS, achei que fosse ser mais difícil do que de fato foi. Terminei a primeira etapa muito animado e já com vontade de que comece logo a próxima.”

Também de Betim, os irmãos Edilson e José Carlos Soares da Silva querem transformar em orgânica a produção de hortaliças que têm hoje em sociedade na Fazenda Santa Cruz. Atualmente, tudo o que produzem é vendido no açougue de Edilson e na barraca de José Carlos. “Nossa intenção é aprender mais para aumentarmos a produção e a valorização do nosso produto. As pessoas ainda procuram o melhor preço, mas quando começarem a pensar mais na saúde irão preferir o orgânico”, compara Edilson.

E os produtores estão certos, porque a demanda por este tipo de produto tem crescido consideravelmente e de forma desproporcional à oferta. “O mercado de orgânicos exige muita qualidade e é importante lembrar que os consumidores não estão consumindo apenas produtos, mas principalmente os processos que geram esses produtos. São consumidores fieis, mas que exigem transparência, ética, qualidade e respeito ao meio ambiente nas etapas de produção, mesmo que tenham que pagar um pouco mais por isso”, define Rafael Izidoro.

O curso

O curso Produtor Orgânico integra o Programa Formação Por Competência e, segundo Antônio Wilson de Oliveira Malta, especialista em agricultura orgânica e professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), seu objetivo é capacitar o produtor dentro dos conceitos preconizados pelas diversas escolas, fazendo com que ele entenda as tendências de mercado, adote as práticas que melhor atendam ao seu perfil e adapte sua cadeia produtiva aos padrões propostos.

Dividido em cinco módulos distribuídos em 500 horas de capacitação, o treinamento parte do nivelamento de conhecimentos gerais; passa por um plano de manejo orgânico; adequação dos fatores de produção - desde o viveiro ao preparo do campo agrícola -; plantio e colheita; até chegar às reflexões sobre associativismo, modalidades de comercialização e definições dos beneficiamentos necessários para o encaminhamento dos produtos ao mercado pretendido. 

Para Malta, que também é instrutor e participou da criação do curso do Senar Minas, as expectativas são as melhores possíveis. “Minha perspectiva e crença, como todo bom mineiro, é que se pode ganhar mais e gastar menos produzindo orgânicos. Como educador, acredito na transformação, na dinâmica da evolução, na capacidade de inovar e na inovação para crescer em todos os aspectos, social, econômico e ambiental.”

A conclusão do projeto-piloto está prevista para o segundo semestre do ano que vem e a realização da capacitação tem o apoio da UFV Campus Florestal. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink