Orizicultores mantêm bloqueio para impedir importação

Agronegócio

Orizicultores mantêm bloqueio para impedir importação

Mais de 250 produtores de arroz de sete municípios do Rio Grande do Sul mantêm o bloqueio na rodovia BR-153
Por:
7 acessos

Mais de 250 produtores de arroz de sete municípios do Rio Grande do Sul mantêm o bloqueio na rodovia BR-153, a 300 metros da Aduana Integrada de Aceguá, na fronteira com o Uruguai. A manifestação ocorre desde essa quinta-feira (27-04) para impedir a passagem de caminhões transportando arroz uruguaio para indústrias paulistas.

Oito caminhões carregados com o produto continuam estacionados no posto aduaneiro da Receita Federal, a 439 quilômetros de Porto Alegre, aguardando a liberação da estrada para chegar a Bagé, onde a mercadoria será transportada em trens até São Paulo.

Segundo o presidente da Associação dos Agricultores da Região da Campanha gaúcha, Ricardo Zago, em uma assembléia realizada durante a madrugada desta quinta-feira, os produtores decidiram manter o bloqueio por tempo indeterminado. "Até que o governo federal adote alguma medida para impedir que o arroz importado continue competindo com o produto nacional".

O dirigente disse que o setor não consegue competir com produto importado do Uruguai e da Argentina. "Porque entra no país sem recolher impostos, enquanto no estado o arroz tem um custo de produção em torno de R$ 30,00 a saca. E está valorizado no mercado nacional ao redor de R$ 20,00 a saca".


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink