Os cafés de qualidade inferior vão ser aceitos nos leilões de opção
CI
Agronegócio

Os cafés de qualidade inferior vão ser aceitos nos leilões de opção

Por:

A pressão dos cafeicultores do Espírito Santo fez com que o governo federal resolvesse incluir o produto tipo rio zona no próximo leilão de contrato de opção, que ocorre no dia 26. Nos dois pregões anteriores, só eram aceitos arábica tipo 6 bebida dura ou robusta. Outra mudança será a inclusão de Goiás nos leilões. Os preços de referência permanecem os mesmos.

Segundo o diretor do Departamento de Café do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento, Vilmondes Olegário da Silva, os produtores do Espírito Santo não estavam participando dos leilões porque a tipificação do café era diferente da mais cultivada na região. No primeiro leilão, realizado dia 11, foram ofertados 320 contratos de café arábica e comercializados apenas 25 no estado. No segundo, os capixabas adquiriram 64 contratos, de mesmo volume ofertado. Para o próximo leilão, serão ofertados 420 contratos - 100 a mais do que no anterior.

Liberação de verba

Deste total, 320 são de bebida rio zona, a preço de referência de R$ 114 a saca de 60 quilos para setembro e R$ 117 para novembro. O restante será de bebida dura tipo 6, a R$ 190 e R$ 195, respectivamente. Haverá ainda a oferta de 720 contratos para o café robusta, a R$ 104 e R$ 107 a saca, para setembro e novembro.

No dia 26 o governo federal estará ofertando, ao todo, 3,8 mil contratos de café arábica bebida dura tipo 6 com vencimento em setembro e igual volume em novembro, sendo os mesmos valores praticados no Espírito Santo. Em relação ao leilão anterior, haverá um acréscimo de 200 contratos, divididos entre o Espírito Santo e Goiás. Outros 1,2 mil contratos serão ofertados de café robusta, com vencimento em setembro e volume igual em novembro.

Para Silva, ainda é cedo para o governo saber se a medida de apoio ao produto está resultando em suporte de preço. No último leilão, realizado quarta-feira, o ágio chegou a 678% em São Paulo. Ele diz que a alta foi conseqüência da redução dos preços no mercado internacional no dia anterior.

Outra medida de apoio ao setor cafeeiro, segundo informou Silva, será a liberação de recursos para Empréstimos do Governo Federal (EGFs), anunciada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 12 passado. Para isso, os cafeicultores deverão esperar que o decreto autorizando o empréstimo seja publicado no Diário Oficial do União nos próximos dias.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.