Palestras virtuais sobre pecuária de corte estão na Expointer 2021, gratuitamente
CI
Imagem: Eliza Maliszewski
EVENTO

Palestras virtuais sobre pecuária de corte estão na Expointer 2021, gratuitamente

A Expointer chega à sua 44ª edição e, dentro das 27 lives realizadas pela Embrapa durante o evento
Por:

A Expointer chega à sua 44ª edição e, dentro das 27 lives realizadas pela Embrapa durante o evento, estão algumas direcionadas para os bovinocultores de corte, com a Embrapa Gado de Corte (Campo Grande-MS) presente com os especialistas em pecuária. O evento acontece no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), entre os dias 4 e 12 de setembro, em versão híbrida, on-line e presencial.

No dia 6, as forrageiras tropicais para o Sul do Brasil são tema do webinar com a participação de Felipe Carmona, Antonio Vander, Liana Jank e moderação de Sérgio Bender. Jank é melhorista em forrageiras e responsável por projetos de cultivares de Panicum maximum que resultaram na liberação comercial da cv. Tanzânia-1, Mombaça, Massai, BRS Zuri, BRS Tamani e BRS Quênia, além de ser curadora do Banco Ativo de Germoplasma de Panicum maximum e líder do projeto de Bancos de Germoplasma de Forrageiras na Embrapa.

Também no dia 6, o médico-veterinário, Renato Andreotti, levará ao participante da feira a palestra o “Controle estratégico de carrapatos em bovinos de corte”. O controle tem como alvo a espécie Rhipicephalus (Boophilus) microplus (o carrapato-do-boi), endêmica em praticamente todo o território nacional, com danos, particularmente em raças taurinas ou seus cruzamentos. Andreotti comenta que o uso de acaricidas é apenas uma das ferramentas no processo de controle e para um controle mais eficiente, deve-se considerar o conhecimento do ciclo de vida do carrapato e suas relações com as variações das condições ambientais; a dinâmica populacional; a sazonalidade; o grau de sangue europeu dos animais; o tipo e o manejo da pastagem, assim como a lotação.

Na quinta-feira (9), Guilherme Malafaia trará “Os desafios para a pecuária do futuro” e, na sequência, Roberto Giolo chegará com os “Sistemas produtivos em integração e de baixa emissão de carbono”. Pesquisador em cadeias produtivas, em especial, da carne bovina, Malafaia destaca as dez megatendências para a cadeia até 2040: produtos biológicos à frente no manejo de baixos resíduos, biotecnologia transformando a pecuária e a carne, menos pasto mais carne, lucro apenas com bem-estar animal, pecuária consolidada com grandes players, frigorífico - mais natural e com maior exigência de qualidade, carne com denominação de origem, Brasil - mega exportador de carne e genética, a onda digital transformando toda a cadeia produtiva e o apagão de mão-de-obra. Fatores esses que fazem o especialista afirmar que as transformações do setor nos próximos vinte anos serão eminentes. 

Giolo apresentará a Plataforma de Pecuária de Baixo Carbono, iniciativa genuinamente brasileira, desenvolvida pela Embrapa (e suas Unidades) e empresas parceiras. Ao longo de uma década de pesquisa, a proposta trouxe a concepção de marca-conceito para a realidade do pecuarista. No mercado brasileiro, as marcas Carne Carbono Neutro (CCN) e Carne Baixo Carbono (CBC) buscam a sustentabilidade do sistema agrícola. Criado entre 2012 e 2020, o sistema CCN realiza o sequestro de carbono por meio de árvores e as emissões são neutralizadas pelo próprio sistema. Por sua vez, o protocolo CBC tem o componente solo como base, ao invés das árvores. Nesse sistema, a premissa é a recuperação de pastagens, com mitigação dos gases, e é possível empregar a tecnologia em mais de 50 milhões de hectares. 

A última palestra virtual da Embrapa na Expointer é com o analista de TI da Embrapa, Camilo Carromeu e a “Transformação digital na pecuária”. Carromeu explica que “hoje as tecnologias são disruptivas e isso mudou a nossa rotina. A pecuária digital integra as ferramentas em plataformas, vai além de softwares e hardwares”, afirma. Entre os exemplos, o cientista da computação deu a versão atual do aplicativo Pasto Certo da Embrapa-Unipasto, o uso combinado da balança de passagem e da câmera térmica infravermelha e a possível adoção de blockchain para rastreabilidade bovina. Para ele, o setor caminha para a quarta revolução agropecuária, que envolve biotecnologia, genética e transformação digital.

Participação de várias regiões do país

Ao todo, 12 Unidades da Embrapa, de várias regiões do país, mostram à sociedade os seus trabalhos de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação (P&D) e de Transferência de Tecnologia (TT). Nesta edição da Expointer, participam as Unidades: Agrobiologia (Seropédica, RJ), Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro, RJ), Clima Temperado (Pelotas, RS), Cocais (São Luís, MA), Florestas (Colombo, PR), Gado de Corte (Campo Grande, MS), Meio Norte (Teresina, PI), Pesca e Aquicultura (Palmas, TO), Soja (Londrina, PR). Solos (Rio de Janeiro, RJ), Suínos e Aves (Concórdia, SC) e Pecuária Sul (Bagé, RS).

A participação presencial ocorre no Pavilhão Internacional, em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Conab e Rede LFDA.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.