Agronegócio

Palma forrageira é alternativa para enfrentar estiagem no Norte de Minas

Emater-MG tem orientado e feito o acompanhamento do plantio da cactácea no município de Riacho dos Machados
Por:
957 acessos
Emater-MG tem orientado e feito o acompanhamento do plantio da cactácea no município de Riacho dos Machados

A Emater-MG, com o apoio de parceiros, tem orientado e feito o acompanhamento do plantio de palma forrageira, no município de Riacho dos Machados, no Norte de Minas. A proposta é garantir alimento de qualidade para o rebanho no período de estiagem. No início de setembro, a Empresa mineira realizou um dia de campo na comunidade Passagem para o acompanhamento das ações. “A implementação de palma forrageira na região será uma alternativa para enfrentar a seca, que castiga pessoas e animais”, afirma o extensionista local da Emater-MG, Osmar Martins Campos.


De acordo com o zootecnista, João Ricardo, “a adubação de cobertura com componentes orgânicos tem o objetivo de fixar nitrogênio no solo, evitando-se o uso de adubos químicos”. Durante o encontro, ele repassou dicas de cultivo e manejo na formação da sementeira, que servirá de campo de multiplicação para formar novas áreas e garantir a alimentação do rebanho durante a estiagem. O produtor rural José Alves dos Santos conta que a falta de água vem preocupando a população de Riacho dos Machados. Para ele, a proposta da Emater-MG sobre o cultivo de palma forrageira é muito interessante. “Vai ser muito bom para a comunidade. O trabalho já desenvolvido e as plantações de palma vão diminuir muito os prejuízos da seca”, afirma.


O secretário municipal de Agricultura de Riacho dos Machados, José Rubens Teixeira, que também é produtor rural, afirma que a importância do uso da palma é a resistência e a alta produtividade. “No município vizinho de Catuti, por exemplo, cerca de 3.300 plantas foram plantadas para atender mais de mil agricultores. Isso trará como benefício a permanência desses agricultores na região”, destaca Teixeira. Já o secretário de Agricultura do município de Serranópolis de Minas, Élson Carlos Canguss, afirma que a planta é resistente à seca e contribui com o desenvolvimento da região. “A palma forrageira pode ser usada na conservação e recuperação de solos”, destaca.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink