Agronegócio

Pancadas no trigo

Tratores e plantadeiras estão fazendo menos de 20% do trabalho que poderiam
Por:
917 acessos
Tratores e plantadeiras estão fazendo menos de 20% do trabalho que poderiam

O trigo 2013 está cada vez mais escasso devido ao clima, foi o que mostrou, na quarta-feira (25), o relatório do Departamento de Economia Rural do Paraná, o Deral. As perdas referentes às geadas de julho corroeram a colheita estadual em 33%. E a geada de agosto ampliou esse índice a 41% com prejuízos nas regiões Sul e Sudeste, mostrou o documento. O granizo do último fim de semana (Oeste e Sudoeste) terá impacto nos números das próximas semanas. O recuo da última geada forte foi de 250 mil toneladas, volume suficiente para encher oito navios de 30 mil toneladas de trigo em grão. A safra estadual poderia se aproximar de 3 milhões mas agora é estimada em 1,7 milhão toneladas. Esse volume está parcialmente confirmado, uma vez que a colheita avançou sobre 25% da área a ser colhida. A qualidade do cereal, porém, mostra-se aquém da registrada em anos anteriores. “Ao menos um terço da produção obtida até o momento tem PH abaixo de 72 [seis pontos menos do que os moinhos esperam]. As colheitas de melhor qualidade estão concentradas no Nordeste do estado”, afirma Carlos Hugo Godinho, coordenador da Divisão de Estatísticas da Secretaria Estadual da Agricultura (Seab). Para que o país produza mais de 4,5 milhões de toneladas, será necessário que o Rio Grande do Sul, que também contabiliza perdas com geadas, registre colheita maior que a do Paraná.


Lavoura perdida

130 mil hectares de trigo foram simplesmente perdidos no Paraná devido às geadas de julho e agosto.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink