Pandemia acentua contrabando de bebidas
CI
Imagem: Marcel Oliveira
ILEGAL

Pandemia acentua contrabando de bebidas

Segundo levantamento da PRF, que não tipifica o tipo de bebida, em 2020 já foram mais de 120 mil rótulos
Por: -Eliza Maliszewski

Na última sexta-feira (27) a Polícia Rodoviária Federal, apreendeu em Lajeado (RS), um carro que estava em cima de um guincho carregado de vinhos estrangeiros.

O fato inusitado ocorreu durante um patrulhamento de rotina na BR 386. O carro estava com dois pneus furados e os policiais pararam para verificar se o guincheiro precisava de ajuda. Dentro do veículo, com placas de Dionísio Cerqueira (SC) estavam mais de 200 garrafas de vinhos importados, algumas com valor de mercado superior a 500 reais. A carga foi avaliada em mais de 50 mil reais. Os produtos entraram de forma ilegal no país.

Este foi só mais um caso de bebidas ilegais neste ano. Segundo levantamento da PRF, que não tipifica o tipo de bebida, em 2019 foram mais de 170 mil rótulos. Em 2020, de janeiro a setembro, já são mais de 120 mil garrafas, sendo julho o mês de maior volume, com 33.638 apreensões.

Além dos vinhos, segundo uma pesquisa da Euromonitor apontou que 40% das bebidas alcoólicas destiladas consumidas no Brasil são ilícitas. O setor de bebidas destiladas no Brasil é composto pelo segmento da cachaça, que representa mais de 70% do setor, além de produtores e distribuidores de outras bebidas como saquê, gin, vodka, tequila e whisky.

As operações são constantes em regiões de fronteira para coibir este crime. Para importar uma bebida de forma ilegal são necessários vários trâmites que podem ser conferidos aqui
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink