SEXTO

Paraguai passa a figurar na lista de maior uso de OGMs

Proporcionalmente, no entanto, país se posiciona melhor
Por: -Leonardo Gottems
1054 acessos

O Paraguai subiu um posto no ranking de países com maior uso de biotecnologia. Em função do país ter uma área cultivada menor que grandes países como Estados Unidos, Brasil e Argentina, o resultado não foi ainda melhor. A área do Brasil ficou com 41,19 milhões de hectares com cultivos transgênicos, sendo que os Estados Unidos tiveram 72,9 milhões de hectares e na Argentina foram 23,8 milhões de hectares cultivados.

À frente do Paraguai, também ficaram Canadá e Índia com 11,6 milhões de hectares e 10,8 milhões de hectares respectivamente. No caso dos paraguaios, foram cultivados 3,52 milhões de hectares de superfície transgênica, sendo 3,2 milhões de hectares de soja, 300 mil hectares de milho e 200 mil hectares de algodão.

Para a gerente do Instituo de Biotecnologia Agrícola (Inbio) do Paraguai, Estela Ojeda, proporcionalmente, o país é o que possui a maior área de transgênico com 90% da superfície cultivada. “Nós, como instituição, valorizamos o efeito causado pela biotecnologia porque não só está ajudando a gerar um impacto econômico nas unidades de produção, mas na mesa dos paraguaios, porque contamos com um número maior de alimentos,” disse Estela.

Neste ano, a produção de soja paraguaia ultrapassou os 10 milhões de toneladas com exportações de alimentos processados que superaram os 10 milhões de toneladas igualmente. Entre os alimentos mais exportados estão soja em grão, óleo e farelo de soja, milho, trigo, canola e girassol, segundo a Câmara Paraguaia de Exportadores e Comercializadores de Cereais e Oleaginosas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink