Paraguaios querem integração logística com o Paraná

Agronegócio

Paraguaios querem integração logística com o Paraná

Ferrovia uniria as regiões de Guaíra e Canindeyú, margeando o Rio Paraná até Encarnación
Por:
315 acessos
Técnicos da Secretaria de Planificación e representantes da Associação Nacional dos Produtores e Exportadores do Paraguai - que vieram ao Paraná avaliar o sistema de armazenagem do Estado e as operações da Ferroeste S.A. e do Porto de Paranaguá - reuniram-se nesta segunda-feira (30) com o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. No encontro foram definidas metas para integrar a produção do Oeste do Paraná e do Leste do Paraguai em um único sistema logístico.


"Paraguaios e paranaenses concordam com a necessidade de implantar uma plataforma logística ligando Guaíra a Salto del Guaira", informa o secretário, "com uma ferrovia unindo as regiões de Guaíra e Canindeyú, margeando o Rio Paraná até Encarnación". De acordo com José Richa Filho, estes são dois grandes eixos, que articularão os países vizinhos e formarão o maior polo produtivo de proteína animal do mundo.

As conversas fazem parte da política de integração do governo Beto Richa com diversos setores a economia regional. O objetivo é buscar, através de parcerias com a União e a iniciativa privada, alternativas que contribuam para desobstruir os gargalos logísticos existentes no estado. Segundo o secretário, os atuais gargalos prejudicam não só as exportações, pelo Porto de Paranaguá, como também as importações de implementos agrícolas e mercadorias para as regiões do interior.


CORREDOR DE PRODUÇÃO - O encontro desta segunda-feira deu sequência às conversas entre o secretário de Infraestrutura e Logística e lideranças do Pacto Oeste, que também estão envolvidas no projeto que pretende tornar o eixo Cascavel-Guaíra e o Departamento de Canindeyú em um corredor de produção de proteína animal.

Durante o encontro, a Ferroeste e a Codapar (Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná), que coordena o Porto Seco existente no terminal ferroviário de Cascavel, se comprometeram a estudar meios de garantir a logística de exportação de grãos de origem paraguaia.


Também participaram da reunião, os representantes dos exportadores paraguaios, Raúl Valdez e Luiz Grossi, o diretor geral da Secretaria de Infraestrutura e Logística, Aldair Wanderlei Petry, o presidente da Ferroeste, Maurício Querino Theodoro, e o presidente da Codapar, Silvestre Staniszewski, e o diretor geral da Secretaria de Agricultura, Otamir Martins.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink