Paralisação nacional de caminhoneiros prejudica exportações de soja
CI
Soja

Paralisação nacional de caminhoneiros prejudica exportações de soja

Em contrapartida, Paraguai registra uma das melhores safras de grãos
Por:

O relatório mensal divulgado pela Câmara Paraguaia dos Processadores de Sementes Oleaginosas e Cereais (Cappro), aponta que o volume da produção de soja no país aumentou expressivamente, porém, a paralisação dos caminhoneiros está impactando negativamente nas exportações. 

As exportações do complexo soja registraram US$ 146 milhões, valor considerado o menor valor para o período (janeiro) nos últimos sete anos.  Isso porque, os volumes de comercialização externa da soja natural e produtos industrializados diminuiram 25% em relação ao ano passado. 

O relatório aponta que o principal suporte deste segmento foi o produto industrializado, obtendo em janeiro US $ 99 milhões de receitas de exportação, 46% a mais que no mesmo mês de 2017, o que representa 68% do complexo total de soja.

Esses dados de comércio exterior são registrados no meio da medida de força implementada pelas associações de transporte, o que dificultou a continuação da colheita, o armazenamento de grãos, o transporte para os portos e o recebimento a matéria-prima nas indústrias e o movimento comercial dos subprodutos derivados das plantas que não estão localizadas na via navegável Paraguai-Paraná.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink