Paraná aumenta sua participação na safra nacional em 2003


Agronegócio

Paraná aumenta sua participação na safra nacional em 2003

Por: -Admin
2 acessos

Com apenas 2% do território nacional, o Paraná vai aumentar este ano de 22,3% para 22,7% a sua participação na safra nacional. Percentualmente, o aumento de 0,4 ponto percentual pode parecer insignificante, mas torna-se importante, segundo o superintendente regional da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) , Jorge Argemiro Dias, quando comparado com o aumento da safra nacional de 96,7 milhões de toneladas para 115,2 milhões toneladas, anunciada esta semana pelo ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues.

A produção agrícola do estado será de 26.172,1 milhões de toneladas - 4,6 milhões a mais que a safra anterior, segundo o quarto levantamento regional, feito entre 22 e 27 de abril e apresentado sexta-feira pelos técnicos da Conab paranaense. A participação da agricultura no PIB estadual é de 8,5%, ante 6,8% da média nacional.

O rendimento, segundo o gerente de projeto e suporte estratégico da Conab, Pedro Roberto Santi Corrêa, deve-se aos bons resultados dos últimos anos, quando o campo se capitalizou e permitiu que fossem realizados investimentos em equipamentos e tecnologia, com reflexo na produtividade. A soja, por exemplo, principal cultura paranaense, alcançou produtividade de três mil quilos por hectare - apesar de problemas iniciais de excesso de umidade no solo corrigidos pelo clima favorável e pela tecnologia utilizada, o que permitiu incremento de 8,5% na produção deste ano (3,562 milhões de toneladas, ante 3,283 milhões de toneladas da safra anterior).

Segurando as vendas

Metade da produção paranaense de soja ainda está para ser comercializada, devido à redução na cotação do dólar, que provocou retração na oferta. Em dezembro, a cotação era de R$ 43,93 por saca de 60 quilos. Atualmente, é de R$ 33,50, o que deve levar o mercado produtor, que está capitalizado, a segurar as vendas.

Em relação ao trigo, a produção paranaense cresceu de 2,0 milhões de toneladas para 2,3 milhões (12,4%). A área plantada cresceu de 1 milhão para 1,1 milhão de hectares. Na região sudoeste, que compreende Foz do Iguaçu, Cascavel, Francisco Beltrão e Pato Branco, o novo plantio deverá ocorrer no fim do mês, para contornar as baixas temperaturas de julho. As projeções indicam que a área será 24% maior e a produção crescerá 73% em relação à safra anterior. Na região de Curitiba e Ponta Grossa há receio de geadas, o que também deverá atrasar o plantio para junho. A grande expectativa no aumento de área plantada deve-se à atual cotação recorde de R$ 550 por tonelada.

A tendência do milho paranaense, segundo técnicos da Conab, é transformar-se definitivamente em commodity: o grão já é insumo essencial à criação de carne para alimentação humana e tem grande aceitação no mercado internacional. Com isso, a área plantada chega a 2,6 milhões de hectares.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink