Paraná ganha centro de biotecnologia agroindustrial
CI
Agronegócio

Paraná ganha centro de biotecnologia agroindustrial

Por:

O Centro de Biotecnologia Agroindustrial do Paraná (Cenbapar), que será implantado a partir de 2004 em Pato Branco (sudoeste do estado), e em Curitiba, terá um papel importante na transferência de tecnologia ao setor produtivo por meio da geração de novos produtos com alto valor comercial, entre os quais as enzimas, os hormônios vegetais e os bioinseticidas. Outra característica do Centro de Biotecnologia será a formação de profissionais altamente especializados, já que oferecerá cursos de mestrado e doutorado.

Proposto pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e pelo Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná (Cefet-Pr), o Cenbapar tem apoio do governo do estado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, do Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec) e da Prefeitura Municipal de Pato Branco.

Pesquisas

O Centro de Biotecnologia terá um "Centro Avançado de Aplicações de Biotecnologia", em Pato Branco, e uma "Plataforma Multipropósito para transferência de Tecnologia", junto à UFPR - Centro Politécnico, em Curitiba - abrigando dois mestrados, sendo um em Agronomia e outro em Biotecnologia Agroindustrial - patrocinado pela UNESCO -, além de um doutorado em Processos Biotecnológicos, da UFPR.

O Centro contará com o suporte internacional de um acordo de cooperação já assinado entre a UFPR e o Instituto de Pesquisa de Biotecnologia Agroindustrial de Marselha (França).

De acordo com o professor Carlos Ricardo Soccol, que é responsável pela cátedra da Unesco em Biotecnologia Agroindustrial e Agroalimentar e que será o coordenador científico do Centro, "O Cenbapar será um instrumento fundamental na validação de pesquisas e patentes existentes no Paraná que possam ser transferidas às empresas como forma de gerar recursos e estimular o agronegócio no Sudoeste do Paraná".

Convênio

O primeiro passo para a concretização do Cenbapar será dado no próximo sábado em Pato Branco, quando será assinado convênio entre a Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Fundação da Universidade Federal do Paraná (FUNPAR), a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), o Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (LACTEC), o Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná (CEFET-PR) e a Fundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico do CEFET-PR (FUNCEFET-PR) e a Prefeitura Municipal de Pato Branco.

Arrastão ambiental

Quinze empresas foram autuadas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) durante dois primeiros dias de fiscalização realizada no noroeste do estado. O balanço foi apresentado ontem pelo escritório regional do IAP em Paranavaí. Envolvendo as regiões de Maringá, Campo Mourão, Paranavaí e Umuarama, oito fiscais do IAP e nove integrantes da Polícia Ambiental promovem até sexta-feira uma operação arrastão junto ao comércio do setor para coibir a venda de peixes pescados durante a atual piracema.

As ações, que foram iniciadas na última segunda-feira, estendem-se também a postos de combustíveis, indústrias de alimentos e demais estabelecimentos que poluem o meio ambiente. Cerca de 50 autuações nesta semana.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink