Paraná lidera recolhimento de embalagens de agrotóxicos
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,144 (0,83%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (-0,36%)


Agronegócio

Paraná lidera recolhimento de embalagens de agrotóxicos

Por:
4 acessos

O Paraná é líder no recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos no país. Nos quatro primeiros meses de 2004, o estado recolheu 1.222 toneladas de embalagens vazias do meio ambiente, um crescimento de 266,5% em comparação com mesmo período do ano anterior. Só durante o mês de abril, foram devolvidas pelo Paraná 395 toneladas de embalagens entregues pelas 16 centrais existentes no estado.

Agora, o Paraná conta com mais uma central de recebimento, a unidade de Maringá, gerenciada pela Cooperativa dos Cafeicultores e Agropecuaristas do município (Cocamar). Ela possui área construída de 1.500 metros quadrados e já funcionava em caráter experimental desde o início de 2003. Localizada no noroeste do Paraná, região onde a atividade agrícola predominante é o cultivo da soja, a central da Coocamar atenderá cerca de 40 municípios da região e possui capacidade para processar 11,9 toneladas de embalagens por semana.

Este ano, a central já recebeu 195.800 embalagens vazias, o que corresponde a 29,6% do total de embalagens comercializadas pela Cocamar e, segundo o vice presidente da cooperativa, José Fernandes Júnior, a previsão é que o volume chegue a 1,5 milhão de unidades até o fim deste ano.

Este é o total de embalagens que deverão ser repassadas ao Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, localizado em São Paulo, e que se responsabilizará pela reciclagem. Fernandes Júnior explicou que, depois de serem recolhidas, as embalagens são destinadas à reciclagem ou à incineração em fornos de cimento, caso esteja contaminadas.

As centrais do Paraná são licenciadas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e estão localizadas nos municípios de Colombo, Ponta Grossa, Cornélio Procópio, Londrina (2 centrais) e Maringá. Também há centrais em Campo Mourão, Umuarama, Cascavel, Santa Terezinha do Itaipu, Palotina, Francisco Beltrão, Guarapuava, Prudentópolis e São Mateus do Sul.

Segundo o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, Luiz Eduardo Cheida, o Programa de Recolhimento de Embalagens de Agrotóxicos é desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema), através do Programa Desperdício Zero. Essa iniciativa tem por objetivo o fim dos lixões do estado, transformando-os em aterros sanitários. Está prevista, também, a redução em 30% do volume de lixo produzido nos domicílios, que atualmente é de 20 mil toneladas dia.

Para Cheida, é fundamental a orientação aos produtores agrícolas para que façam a tríplice lavagem das embalagens antes da devolução, lembrando que atualmente o Paraná é seguido na liderança do recolhimento de embalagens no país, pelos estados do Mato Grosso e Minas Gerais.

De acordo com o engenheiro agrônomo e coordenador do programa de recolhimento das embalagens da Secretaria do Meio Ambiente, Rui Muller, a previsão para este ano é que o Paraná recolha 2,8 mil toneladas de embalagens.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink