Paraná sedia abertura da safra de cana 2013/14 no Centro Sul

Agronegócio

Paraná sedia abertura da safra de cana 2013/14 no Centro Sul

Evento será na tarde desta sexta-feira na unidade da Renuka do Brasil em São Pedro do Ivaí
Por:
1207 acessos
O Paraná vai sediar nesta sexta-feira (dia 5) a abertura oficial da safra 2013/14 da cadeia de cana-de-açúcar na Região Centro Sul do País. Com a presença de autoridades dos governos federal e estadual, lideranças e empresários do setor, o evento será no dia 5 na unidade do Grupo Renuka Vale do Ivaí em São Pedro do Ivaí, a 83km de Maringá, no norte do Estado. Pela manhã, está prevista uma reunião com prefeitos e, às 14 horas, no interior da usina, a solenidade que, além de marcar o início da safra, vai formalizar a implementaçao do programa "Caminhos alternativos do agronegócio paranaense".
 
O setor espera contar com a presença da ministra da Casa Civil da Presidência da República, Gleisi Helena Hoffmann, do novo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Antônio Andrade, do governador Beto Richa, além de secretários de estado, senadores, deputados estaduais e federais, prefeitos de dezenas de municípios, dirigentes da Frente Nacional Bioenergética, representantes de todas as associações e sindicatos do setor de vários Estados e demais lideranças.
 
EXPECTATIVA - Segundo o presidente da Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), o evento ocorre no momento em que há uma grande expectativa por parte dos empresários em relação ao posicionamento no governo federal no que refere à matriz energética.  Ele lembra que o governo tem tomado medidas para apoiar o setor, mas a reivindicação é principalmente por um marco regulatório. "Precisamos de uma direção clara sobre qual será a política energética do País”, explica. Enquanto isto não acontece, o setor se mantém em dúvida quanto a realização de investimentos em novas estruturas e ampliações.
 
CAMINHOS ALTERNATIVOS - Como parte da programação, a Alcopar estará formalizando no mesmo ato um convênio com o governo do Estado para implementar o projeto “Caminhos alternativos do agronegócio paranaense”, cujo objetivo é melhorar as condições de trafegabilidade das vias alternativas, para que o transporte de cana seja retirado das rodovias.
 
O superintendente da entidade, José Adriano da Silva Dias, informa que o investimento previsto está orçado em R$ 296 milhões, abrangendo uma malha de 3.346 quilômetros de estradas municipais e estaduais no norte e noroeste. O montante inclui a construção de 71 trincheiras, 72 rotatórias, 272 pontes, 108 passagens simples, aquisição de duas balsas, obras em andamento e as já executadas. "O setor investe cerca de R$ 70 milhões por ano só na conservação das estradas por onde é feito o escoamento de cana", complementa Dias.
 
COLHEITA - A safra de cana, na realidade, já começou no dia 22 de fevereiro, quando entrou em operação a Destilaria Melhoramentos Norte do Paraná, em Jussara, no noroeste do Estado. As previsões iniciais apontam para uma produção de 39,7 milhões de toneladas no Paraná e 590 milhões de toneladas no Centro Sul.
 
Na unidade da usina anfitriã do evento, a Renuka Vale do Ivaí, o corte da cana também já começou no dia 20 de março. A expectativa da Renuka no Paraná é esmagar 2,7 milhões de toneladas de cana e produzir 239,3 mil toneladas de açúcar, 57,5 milhões de litros de etanol e 20 mil toneladas de levedura.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink