Agronegócio

Paraná vai enfrentar semana de geada

Cenário coloca em risco culturas como o milho safrinha, o café e os hortifrutigranjeiros
Por:
2440 acessos

O Paraná vai amanhecer com temperaturas abaixo de zero com incidência de geadas em diferentes regiões nesta terça-feira (7). Segundo os meteorologistas, o fenômeno será causado pela chegada de uma massa de ar frio polar continental que vai ficar estacionada sobre o estado até sexta-feira (10), quando outra massa deve reforçar e provocar mais geadas no início da próxima semana.

De acordo com o meteorologista Luiz Renato Lazinski, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as geadas mais intensas, de grau moderado, serão registradas na quinta-feira (8) e no domingo (12), em quase todas as regiões do estado, com exceção do Norte e do Litoral. “Nesta terça-feira teremos geada de grau leve no Centro-Sul e no Leste do estado”, afirma. Segundo Lazinski, o último registro de uma massa de ar tão forte foi em julho de 2000. Nestes dois dias, as temperaturas podem chegar a -4 ºC em algumas cidades.

Confira a previsão do tempo de sua cidade

O cenário coloca em risco culturas como o milho safrinha, o café e os hortifrutigranjeiros, que vão exigir cuidados específicos para evitar danos.

Para o analista de milho do Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab), Edmar Gervásio, quase 50% das lavouras de milho safrinha estarão suscetíveis à geada desta semana. “Em Cascavel, por exemplo, se concentram 380 mil hectares de milho safrinha. E isso é preocupante. Ainda é cedo para falar em perdas, mas o alerta existe”, afirma.

Na Região Metropolitana de Curitiba, onde é produzido um terço das hortaliças e 23% das frutas do estado, a preocupação é com os morangos. “Temos uma produção razoável. Uma geada forte pode mexer com o mercado”, diz o técnico do Deral, Paulo Andrade. “As consequências nas hortaliças vão depender da localidade, intensidade e da proteção da produção”, explica o agrônomo Carlos Eduardo Salvador.

Todo o ano, a partir do mês de maio, muitos produtores de café, outra cultura muito suscetível ao frio, adotam o ‘chegamento de terra’ (amontoar terra no tronco até o primeiro par de folhas ou ramos), nas plantas com menos de dois anos, como medida preventiva.

O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), que divulga diariamente o Alerta Geada, está monitorando com atenção o movimento da massa polar que se aproxima do Paraná. De acordo com a meteorologista Angela Beatriz Costa, é preciso ter muito cuidado antes de emitir um alerta de geada. “Custa caro para o produtor proteger a lavoura. Mas estamos monitorando e, se houver necessidade, vamos emitir com 72 horas de antecedência”, diz. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink