Paraná volta a ser maior produtor de grãos

Agronegócio

Paraná volta a ser maior produtor de grãos

Com participação de 19,8% na safra nacional, Paraná volta a ser maior produtor de grãos
Por:
204 acessos

O Paraná retomou no ano passado o posto de maior produtor brasileiro de grãos, com participação de 19,8% na safra nacional. Em 2005, a primeira posição havia ficado com Mato Grosso, que colheu 18,9% de todos os grãos produzidos no Brasil no ano passado, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Afetado por fortes estiagens em 2004 e 2005 e pela descapitalização dos agricultores, o Rio Grande do Sul reagiu no ano passado. Saltou de uma participação de 10,4% na safra de 2005 para 17% na de 2006, cuja produção total somou 117,3 milhões de toneladas -4,1% mais do que em 2005. O Paraná é o maior produtor de feijão, milho, trigo, aveia e cevada. É ainda o segundo principal fornecedor de soja. Mato Grosso lidera em soja e algodão. O Rio Grande do Sul tem a dianteira na produção de arroz.

Se 2006 marcou um ano de recuperação nos volumes de grãos produzidos, o mesmo não ocorreu com os preços, especialmente os da soja. O resultado foi uma queda de 15,1% no valor total da produção de grãos no país, estimado em R$ 40,961 bilhões.

Segundo o IBGE, o cenário de preços mais baixos e de menor rentabilidade das lavouras explica a retração do valor da produção agrícola de grãos e cereais. Em boa parte, é reflexo do câmbio, que reduziu o rendimento auferido pelos agricultores nas exportações.

"A diminuição [do rendimento] está relacionada à valorização do real, que afetou principalmente a soja e o algodão [produtos típicos de exportação]", disse Carlos Alfredo Barreto Guedes, técnico do IBGE.

Por conta da falta de chuvas e do desestímulo ao plantio trazido pelos preços baixos, a área cultivada de grãos diminuiu 5,2% (ou 2,5 milhões de hectares) em relação a 2005. A queda interrompeu uma seqüência de crescimento da área plantada iniciada em 2001.

Algumas culturas, porém, compensaram a queda da área com alta de produtividade. É o caso da soja, cuja safra de 2006 foi a maior da história do país -52,5 milhões de toneladas, com alta de 2,5% ante 2005. A safra de milho, segundo produto agrícola mais importante do país, subiu 21,5%, recuperando-se dos efeitos das estiagens que afetaram o Sul.

Em conseqüência da retração do valor produzido, principalmente da soja, municípios de Mato Grosso perderam rentabilidade e o posto de cidade que gera a maior renda agrícola. A campeã de 2006 foi São Desidério, no oeste da Bahia. A cidade é a maior produtora nacional de algodão.

Já em volume, a liderança ficou com Sorriso (MT). O município produziu 2,238 milhões de toneladas de grãos em 2006, com alta de 9,6% ante 2005. A cidade é principal produtora de soja do país, com 3,4% do total da safra brasileira. No caso do arroz, o maior produtor é Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. A safra nacional do cereal, no entanto, caiu 12,6% de 2005 para 2006.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink