Parasita derruba importações e venda de salmão

Agronegócio

Parasita derruba importações e venda de salmão

Segundo a Associação das Indústrias de Salmão do Chile, a receita total das exportações do país cresceram 6%
Por:
1 acessos
A importação e a comercialização de salmão sofreram um duro baque no país desde o surgimento do surto de Difilobotríase (uma doença intestinal) em São Paulo, provocada pelo consumo de peixe cru contaminado com o parasita Diphyllobothrium latum. Conforme apurou o Valor, as importações de salmão do Chile, maior fornecedor do pescado para o Brasil, estão quase paradas desde a descoberta da doença, no fim de março.


Procurados, importadores e o escritório paulistano da Prochile (agência chilena de fomento às exportações) não se pronunciaram. Mas fontes do setor confirmaram que só empresas brasileiras que já haviam contratado e pago por carregamentos chilenos estão aceitando receber o produto. Nos últimos dois dias, em reuniões no Ministério da Agricultura, em Brasília, foram discutidas medidas fitossanitárias para evitar o envio de peixes com o parasita. Não está confirmada se a origem do problema está no Chile, mas o temor em relação ao país é grande por se tratar do maior exportador.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink