Parceria entre SENAR e Stara capacitará produtores rurais pelo Brasil
CI
Agronegócio

Parceria entre SENAR e Stara capacitará produtores rurais pelo Brasil

O SENAR firmou nesta terça-feira (19) parceria com a Indústria de Implementos Agrícolas Stara para disseminar a prática da agricultura de precisão em todo o Brasil
Por:
O SENAR firmou nessa terça-feira (19) parceria com a Indústria de Implementos Agrícolas Stara para disseminar a prática da agricultura de precisão em todo o Brasil

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) firmou nessa terça-feira (19) parceria com a Indústria de Implementos Agrícolas Stara para disseminar a prática da agricultura de precisão em todo o Brasil. O convênio foi assinado pela presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Conselho Deliberativo do SENAR, senadora Kátia Abreu, e pelo presidente da empresa, Gilson Larri Trennepohl, no Espaço Agrobrasil, no Pier Mauá, dentro da programação do Sistema CNA/SENAR na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20). A parceria marcou o lançamento de uma série de seminários sobre o tema, que serão realizados em todos os estados brasileiros com a finalidade de difundir a tecnologia em dez estados brasileiros.

“Vamos divulgar a agricultura de precisão para os produtores e trabalhadores rurais. Será um dia de campo nessas cidades para que possamos levar essa tecnologia e, no futuro, fazer com que eles produzam mais no mesmo espaço”, destacou a senadora. O convênio também permitirá a capacitação de produtores e trabalhadores rurais para o uso das técnicas nas propriedades rurais. Com a agricultura de precisão, o produtor poderá modernizar a sua atividade com instrumentos inovadores de operacionalização com máquinas e equipamentos agrícolas. Outras vantagens são a coleta de dados da produção e a elaboração de mapas georreferenciados que vão orientar o agricultor a tomada de decisões em suas atividades.

O programa Agricultura de Precisão foi dividido em duas áreas: mecanização e gestão. A ideia é desenvolver instrumentos para ajudar os produtores a monitorar e avaliar os resultados da produção. Entre os benefícios estão o retorno econômico dos investimentos a partir do aumento de produtividade e a redução dos danos ambientais, com a utilização de menos insumos e maior controle sobre o solo. Após a assinatura foi realizado um debate sobre o tema. Um dos palestrantes foi o representante do SENAR/RS, João Telles. Segundo ele, as informações sobre a tecnologia ainda não chegaram de forma adequada ao produtor rural. “Com essa parceria, podemos estimular o produtor a utilizar essa tecnologia”, afirmou.

Em sua exposição, o pesquisador Telmo Amado, da Universidade Federal de Santa Maria, apresentou aos participantes uma experiência bem sucedida desenvolvida em uma fazenda na região do Alto Jacuí, no Rio Grande do Sul, que ampliou a produção em 8%. “Conseguimos uma uniformização da produtividade. Na fazenda que implementamos o ciclo completo da agricultura de precisão, percebemos que havia áreas com produtividade de nove sacos por hectare, enquanto em outro espaço, a produtividade era de 23 sacos/hectare”, revelou. Outro benefício é o aumento de eficiência, segundo o professor da Universidade de São Paulo (USP), José Paulo Molin, “Devemos levar em consideração que a lavoura não é uniforme. Temos espaço para otimizar a produção gerenciando cada espaço diferente”, explicou.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink