Parceria viabiliza a implantação de fossas sépticas biodigestoras em Itaobim, Norte de Minas

Agronegócio

Parceria viabiliza a implantação de fossas sépticas biodigestoras em Itaobim, Norte de Minas

Uma parceria entre a Embrapa, prefeitura e Emater-MG busca  evitar a contaminação do solo e da água em Itaobim, Norte de Minas
Por:
520 acessos

Uma parceria entre a Embrapa, prefeitura e Emater-MG busca  evitar a contaminação do solo e da água em Itaobim, Norte de Minas. A ideia é estimular a implantação de fossas sépticas biodigestoras nas propriedades rurais, para o tratamento dos dejetos de vasos sanitários. As famílias cadastradas recebem as fossas gratuitamente.

O equipamento é doado pela Embrapa e a implantação nas propriedades é de responsabilidade da prefeitura. Os produtores começaram a receber as fossas em julho de 2016. Até agora foram implantadas cinco fossas biodigestoras. As famílias beneficiadas foram selecionadas  no início do ano pela prefeitura e Emater-MG.

De acordo com o secretário de Agricultura de Itaobim, Wallysson Mardem Macedo, essa medida irá “minimizar os impactos ambientais causados pela dispersão de dejetos dos vasos sanitários das residências rurais no meio ambiente. As fossas sépticas irão tratar o esgoto do vaso sanitário de forma eficiente e produzir um líquido que pode ser utilizado diretamente no solo como fertilizante”, afirma.

O sistema é composto por três caixas de fibra de vidro de mil litros cada. Na primeira e segunda caixa ocorre o tratamento do esgoto. A ultima é para o armazenamento do esgoto tratado. O processo é feito por uma mistura a base de água e esterco bovino. “São os microrganismos existentes no esterco bovino que vão transformar os resíduos sólidos em líquido”, diz o extensionista da Emater-MG em Itaobim, Dajas Murta Filho. Segundo ele, o líquido resultante desse processo é indicado para ser usado em mudas frutíferas.

A empresa tem orientado os produtores para que eles adotem as fossas sépticas biodigestoras. De acordo com Dajas Filho, essa iniciativa contribui para despoluir os córregos, evitar a contaminação do solo, lençol freático e reduzir a incidência de doenças. “É uma questão de preservação ambiental e de economia de água. Com essas fossas, os produtores podem reutilizar a água do esgoto”, afirma.

Segundo a secretaria de Agricultura de Itaobim, está sendo elaborado um projeto de captação de recursos em parceria com a Embrapa para a implantação de mais 200 fossas sépticas biodigestores no município a partir de 2017.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink