Parmalat deve pagar dívidas com Cooperativas e Produtores no próximo dia 16
CI
Agronegócio

Parmalat deve pagar dívidas com Cooperativas e Produtores no próximo dia 16

Por:

A Parmalat Brasil deve saldar as suas dívidas com as cooperativas e produtores de leite no próximo dia 16. Isso foi o que garantiu ao ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, o presidente da empresa, Ricardo Gonçalves. Segundo o Rodrigues, o governo também avalia a possibilidade de comprar para os programas sociais, como o Fome Zero, o leite em pó das cooperativas que receberam o produto da Parmalat como pagamento dos débitos. Além disso, poderão ser alocados cerca de R$ 250 milhões para operações de Empréstimos do Governo Federal (EGF) destinados à estocagem de leite.

A compra de leite em pó das cooperativas e os recursos para EGF foram sugeridos ao ministro pelo grupo de trabalho criado pela Câmara Setorial do Leite e Derivados para analisar o impacto da crise da Parmalat no mercado brasileiro de laticínios. Rodrigues esclareceu também que o governo não realizará nenhuma operação para salvar a empresa. De acordo com ele, a preocupação do ministério é com a situação dos produtores, uma das principais atividades da agricultura familiar. “Temos que garantir a permanência dos pequenos produtores nesse setor para que não haja crise de abastecimento lá na frente, prejudicando o consumidor brasileiro.”

O ministro revelou que conversou ontem (08/01) com o presidente da Parmalat Brasil. Durante a audiência, Gonçalves informou que viajará à Itália, onde vai propor à matriz da indústria láctea uma blindagem para a filial brasileira. Com isso, é possível que a subsidiária brasileira deixe de transferir dinheiro para a empresa italiana. Conforme Rodrigues, Gonçalves disse que os problemas mais graves da Parmalat Brasil estão no noroeste do Rio de Janeiro e em Garanhuns, em Pernambuco, onde os produtores fornecem leite com exclusividade para empresa.

Rodrigues ressaltou também que a crise da Parmalat deve servir de alerta para o Brasil modernizar a cadeia produtiva de lácteos. Para o ministro, o setor precisa incorporar novas tecnologias para ampliar a produção em escala, agregar renda ao produto e aumentar a renda dos produtores. Na sua opinião, as cooperativas rurais deverão ter um importante papel na reformulação da cadeia produtiva de leite e derivados.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink