Agronegócio

Pecuária de corte investe em genética para garantir qualidade da carne

Programa de seleção da Conexão Delta G leva em consideração aspectos que beneficiam produtor e consumidor
Por:
496 acessos

A crescente valorização da pecuária nos últimos anos no Brasil está aliada a fatores muito importantes para atrair mercados exigentes e selecionados, como a qualidade dos animais e os investimentos em genética. Na pecuária de corte, por exemplo, a utilização de reprodutores geneticamente superiores é a melhor ferramenta para o aprimoramento do rebanho.
 
Para Eduardo Eichenberg, presidente da Conexão Delta G, programa que reúne selecionadores das raças Hereford e Braford, reprodutores geneticamente superiores irão produzir animais com maior potencial de ganho de peso, maior precocidade de terminação e maior quantidade de carne, em carcaças de tamanho adequado. “Isso significa maior potencial de produção de quilos por área, garantindo um melhor retorno ao produtor”, ressalta.
 
Eichenberg destaca o programa de seleção da Conexão Delta G, cujo foco se dá em cima de características de real importância econômica. Garante que se forem levados em consideração os avanços da agricultura sobre as áreas de pecuária e os altos investimentos no setor, produzir mais e em menos tempo se tornou essencial, e isso passa pelo uso de genética superior. “Animais mais precoces permitem a comercialização de exemplares jovens para o abate e, isso, aliado à qualificação das raças Hereford e Braford, através dos programas Carne Hereford e Carne Braford Certificada, significa maior remuneração ao criador e carne de melhor qualidade para o consumidor”, observa.
 
Os diferenciais da Conexão Delta G estão nos números apresentados, conforme explica o dirigente. São 500 mil produtos avaliados, mil e 500 touros comercializados por ano e, atualmente, 26 touros estão em centrais de inseminação artificial. “Isso tudo proveniente de um programa que preza pelo rigorismo nas avaliações genéticas, de modo a garantir dados confiáveis, passando segurança ao comprador de genética. Nosso programa avalia 21 características que têm efeito direto na produção pecuária, visando o lucro do criador, por isso nosso slogan "Genética para o lucro", afirma.
 
Segundo o presidente da Conexão Delta G, o mercado vem se mostrando aquecido nos últimos anos. Os diferentes leilões promovidos pelos criadores ligados à Conexão Delta G na Primavera de 2015 e no Outono deste ano, por exemplo, registraram um grande número de compradores do Centro do país. “Isso pode ser explicado pelos diferenciais da genética oferecida pelos membros da Conexão Delta G, que vendem ao mercado animais selecionados e adaptados, e, também, pelo excelente trabalho institucional que vem sendo feito pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), divulgando as raças HB no país e fomentando os programas Carne Hereford e Carne Braford Certificada”, salienta.
 
Na Prova de Avaliação à Campo (PAC) realizada nos dias 15 e 16 de junho, dois produtores membros da Conexão Delta G tiveram animais classificados entre os cinco primeiros lugares. O criador Frederico Wolf, da Wolf Genética, sagrou-se campeão na raça Hereford, e o criador Valter José Potter, da Estância Guatambu, tirou dois vice-campeonatos, um Hereford e um Braford.
 
Conforme Patrícia Wolf, uma das proprietárias da Wolf Genética, o primeiro lugar no PAC mostrou mais uma vez o foco da propriedade em produção, em anos de investimentos em genética para animais equilibrados, mas que sejam ganhadores de peso e com boa capacidade de terminação de carcaça. Lembra ainda, o uso há 15 anos da análise de características de carcaça por ultrassonografia, através de avaliações realizadas pelo professor Jaime Tarouco, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). “Também nos últimos três anos agregamos o uso do Programa de Acasalamento Dirigido (PAD), com ênfase nos touros jovens que são indicados pela Conexão Delta G”, afirma.
 
Patrícia destaca também que, no Hereford, nas últimas duas edições, praticamente todo o topo da classificação foi de reprodutores da Conexão Delta G – em 2015, os três primeiros colocados foram da Estância Guatambu -, e no Braford, nos últimos três anos, também ocorreu um excelente desempenho. “Os criadores conectados à entidade têm em comum o perfil de foco na produção. Com isto, esperamos um bom desempenho em provas de performance como é o caso da PAC”, explica.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink