Pecuarista deve ficar atento ao rebanho
CI
Agronegócio

Pecuarista deve ficar atento ao rebanho

Emagrecimento progressivo, perda de produção, são um dos sinais tardios de que o animal está com tuberculose
Por:

Muitas vezes os sinais de que um animal está infectado com tuberculose podem aparecer tarde demais. Shiguedy Cato, veterinário do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), explica que os sintomas visíveis aparecem em um estágio mais avançado da doença. Emagrecimento progressivo, perda de produção, são um dos sinais tardios de que o animal está com tuberculose.

Para evitar esse tipo mais avançado da doença, o especialista alerta que o produtor deve fazer o teste de tuberculina a cada seis meses. "Toda vez que entrar um novo animal na propriedade o pecuarista deve antes exigir os exames", recomenda Cato. O especialista explica que a doença afeta principalmente o rebanho leiteiro porque há muito contato entre os animais e também entre os seres humanos.

"Para um humano há tratamento com antibióticos, mas para os animais só o abate", afirma o veterinário. Cato salienta que o abate de um animal contaminado deve ser acompanhado pelo veterinário que diagnosticou a doença e um técnico da Adapar. O especialista do Emater conclui que a forma mais fácil de controle da tuberculose e da brucelose é o monitoramento constante do rebanho. (R.M.)

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink