Pecuarista mineiro afetado por seca obterá milho em condições facilitadas
CI
Agronegócio

Pecuarista mineiro afetado por seca obterá milho em condições facilitadas

O produto, adquirido em leilões, será oferecido a preço acessível
Por:
No período de abril e maio, os criadores das regiões mineiras consideradas em estado de emergência por causa da seca poderão adquirir milho em condições facilitadas. Está prevista a entrega de 280 mil sacas do grão adquiridas pela Conab em leilões, conforme decisão anunciada na quarta-feira (03/04), durante reunião na Casa Civil da Presidência da República, que contou com a participação do governo de Minas, por intermédio do secretário adjunto de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Paulo Romano.

Os pontos de entrega do milho no Estado, já propostos, serão os municípios de Montes Claros, Januária, Janaúba, Salinas, Pirapora, Almenara e Teófilo Otoni, informa Romano. “A Conab está na coordenação das operações, e um dos critérios para a venda é a limitação das aquisições em até três mil sacos por comprador, que pagará um preço da ordem de R$ 18,12 por saco, portanto inferior ao preço de mercado”, acrescenta.

A reunião na Casa Civil foi o começo de uma discussão de medidas emergenciais para resolver o problema do abastecimento de milho destinado à produção animal nas áreas afetadas pela seca no semiárido brasileiro, diz Romano. Conforme o secretário adjunto, a solução apresentada no encontro responde aos pedidos formulados por sindicados e associações de produtores mineiros à Seapa.

Romano considera que as medidas relacionadas ao abastecimento de milho em condições especiais aos produtores é mais um passo para dar suporte às atividades nas áreas atingidas em Minas. Ele lembra que o governo do Estado já adotou uma medida importante, ao zerar o ICMS para as vendas de animais vivos, atendendo ao propósito de evitar perdas nas propriedades de agropecuária, onde já é grande o risco de morte de animais.

O secretário adjunto também diz que a Seapa indica, para médio prazo, o fomento do plantio de palma forrageira (cáctus) já utilizada no Nordeste do Brasil e no México para a alimentação de ruminantes. Trata-se de uma planta rústica, com grande capacidade de retenção de água, que é importante para a manutenção dos animais nos períodos críticos. “Esta será uma estratégia bem-sucedida para a manutenção dos rebanhos do semiárido mineiro”, prevê Romano.

Ele ainda observa que o plantio de sorgo deve ser fomentado como alternativa para o milho porque também é nutritivo e resistente à seca. 
 
União de forças

A reunião na Casa Civil teve a participação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com a presença do ministro Pepe Varga. Também participaram as Secretarias de Agricultura de Minas, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.