Pecuaristas têm até dia 12 para comunicar vacinação contra febre aftosa em Mato Grosso

Agronegócio

Pecuaristas têm até dia 12 para comunicar vacinação contra febre aftosa em Mato Grosso

Pecuaristas em MT possuem até o dia 12 de dezembro para comunicar ao Indea-MT a imunização do rebanho contra a febre aftosa.
Por:
379 acessos

Pecuaristas em Mato Grosso possuem até o dia 12 de dezembro para comunicar ao Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) a imunização do rebanho bovino e bubalino de mamando a caducando contra a febre aftosa. A perspectiva é que nesta segunda etapa da campanha contra a doença tenham sido vacinados 29,3 milhões de cabeças.

O Indea alerta que no caso das propriedades rurais localizadas na região do baixo Pantanal a comunicação deverá ser feita até o dia 15. A segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa em Mato Grosso ocorreu no mês de novembro. Tal etapa é obrigatória para todo o rebanho bovino e bubalino de mamando a caducando.

Em propriedades localizadas em assentamentos e comunidades rurais de 36 municípios, segundo o Indea, o registro de comunicação da vacinação é realizado online, possibilitando mais agilidade ao processo e facilitando ao pequeno produtor que muitas vezes tem dificuldade em se deslocar até uma unidade do instituto.

São exigidos na comunicação da vacina contra a febre aftosa a nota fiscal da compra das vacinas e a relação dos animais imunizados. 

O produtor que atrasar a comunicação fica impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por no mínimo 30 dias. Além disso, há uma multa de 2,25 em Unidade Padrão Fiscal (UPF) por cabeça de animal não vacinado caso o pecuarista não tenha imunizado o rebanho.

Livre da aftosa

Mato Grosso está há 20 anos livre da febre aftosa com vacinação. A perspectiva, como o Agro Olhar já comentou, é que o Estado receba até 2018 o status de livre da aftosa sem vacinação. Tal status é proferido hoje apenas para Santa Catarina.

Recentemente o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou que em maio de 2018 o Brasil deverá receber a certificação de país livre da febre aftosa com vacinação. Hoje, o país tem 77% do seu território reconhecido como zona livre da aftosa com vacinação. Apenas o Amazonas, o Amapá e Roraima não possuem tal status.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink