Pelo fortalecimento da agricultura familiar na América Central
CI
Agronegócio

Pelo fortalecimento da agricultura familiar na América Central

Primeira Reunião Regional sobre Diálogo e Políticas Públicas para a Agricultura Familiar
Por:

O secretário Nacional de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), Onaur Ruano, participou nesta terça-feira (15), em El Salvador, da Primeira Reunião Regional sobre Diálogo e Políticas Públicas para a Agricultura Familiar, com foco nos países da América Central.

O principal objetivo do encontro é o intercâmbio de experiências em políticas públicas para a agricultura familiar e o fortalecimento e ampliação do diálogo regional permanente para o desenvolvimento rural, contribuindo assim para o processo de integração da América Central, a exemplo do sucesso que é a Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar (Reaf) no Mercosul. O Brasil apresentou sua maneira de construção participativa das políticas públicas para a agricultura familiar, destacando a importância do diálogo com os movimentos sociais.

“Nota-se que os problemas que afetam a agricultura familiar são comuns na região, como um sólido marco legal e reconhecimento dos Estados, dificuldades de acesso à terra, ao financiamento para a produção, aos mercados com condições justas, à inclusão social e produtiva. O Brasil é exemplo de luta contra esses obstáculos. Assim, sua participação muito contribui para a reflexão das autoridades da região sobre o desenvolvimento e a forma de criação e implementação de suas diversas políticas para fortalecer a agricultura familiar”, afirmou o oficial de Políticas da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), Adoniram Sanches. 

A reunião é promovida pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), em parceria com o Conselho Agropecuário Centro-Americano (CAC), e o Sistema de Integração Centro-Americana (SICA).

Agricultura na América Central

Na América Central há cerca de 2,3 milhões de unidades produtivas da agricultura familiar, envolvendo mais de 11,7 milhões de pessoas - diretamente ou que dependem do trabalho de suas famílias para obter seu meio de vida. Essas unidades empregam, de forma permanente ou temporária, cerca de 4,7 milhões de pessoas que não são membros da família. 

Aproximadamente, 70% da população rural estão concentradas na Guatemala, El Salvador, Honduras e Nicarágua, sendo que quase a metade desse montante se encontra na Guatemala (46%). Estima-se que o peso econômico da agricultura familiar representa algo em torno de 50% do setor agrícola da América Central.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.