Pepe Vargas anuncia 1ª exportação de máquinas agrícola
CI
Agronegócio

Pepe Vargas anuncia 1ª exportação de máquinas agrícola

A informação foi dada durante Seminário de Planejamento Estratégico 2013
Por:
A informação foi dada durante Seminário de Planejamento Estratégico 2013, promovido pela ABIMAQ-CSMIA, em Ribeirão Preto (SP)

Até o fim do ano, o Brasil deve fazer a primeira exportação de máquinas e implementos agrícolas viabilizada por meio do Programa Mais Alimentos, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A informação foi dada na sexta-feira (19), pelo ministro Pepe Vargas, durante sua participação no Seminário de Planejamento Estratégico 2013 que a Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA), da Abimaq – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, promove, em Ribeirão Preto (SP).


Pepe Vargas adiantou que o primeiro embarque irá para Cuba, que forneceu uma carta de crédito, providência que facilitou a conclusão do negócio. “Além desse embarque para Cuba, temos aprovados pela Camex – Câmara de Comércio Exterior, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, uma dotação orçamentária de US$ 615 milhões exclusivamente para estimular as exportações de implementos e máquinas agrícolas”, relatou o ministro. Além de Cuba, o MDA avalia também oportunidades de exportações de máquinas para Moçambique, Zimbábue e Gana.

Para o presidente da CSMIA, Celso Casale, a abertura dessa possibilidade no mercado externo é muito importante para o segmento. Casale também destacou que o objetivo do seminário, que é promovido todos os anos, é levar conhecimento para os industriais do segmento. “A ideia do evento é reunir autoridades e especialistas das mais diversas áreas para alertar os empresários sobre riscos e problemas futuros, mostrar novas oportunidades de negócios e também ajudar na busca por capacitação técnica e comercial”, afirmou Casale.


Além do ministro Pepe Vargas, o seminário da CSMIA contou também com uma palestra do ex-presidente da Embrapa, Eliseu Roberto de Andrade Alves, que detalhou os resultados do recente Censo Demográfico e Agropecuário do IBGE e suas consequências para o setor de máquinas e implementos agrícolas. Também falaram durante a manhã, a diretora de inovação do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, Zehbour Panossian e o professor titular do Departamento de Produção da Escola Politécnicas da USP, Mario Sergio Salerno.

Na sequência, o presidente da John Deere, Paulo Herrmann, falou sobre a contribuição da indústria de máquinas e implementos agrícolas no desenvolvimento do sistema de integração Lavoura, Pecuária e Floresta (iLPF) no Brasil. Herrmann foi homenageado pela CSMIA por sua contribuição ao sistema iLPF. Ainda na parte da manhã, foi exibido um filme com a retrospectiva de um ano do programa Tecnologia do Campo, idealizado pela CSMIA e exibido todos os sábados, no Canal Rural.


O seminário, que é coordenado pelo presidente da CSMIA, Celso Casale, prosseguiu no período da tarde, com palestras sobre o atual cenário do mercado agrícola, as ações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a discussão do principal tema do evento, que é sobre os riscos e oportunidades em relação à tendência de consolidação no segmento de implementos e máquinas agrícolas.

O consultor Carlos Cogo, da Carlos Cogo Consultoria em Agribusiness, fala sobre Tendências do Mercados de Commodities Agrícolas e os Impactos no Segmento de Máquinas e Implementos Agrícolas no Brasil. Em seguida, o gerente do Departamento de Investimentos em Pequenas e Médias Empresas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Guilherme de Lemos Medina Coeli, tratou do tema “O que o BNDES pode fazer pela Consolidação e Fortalecimento do Setor de Máquinas e Implementos Agrícolas no Brasil”.


A última parte do encontro foi dedicada à discussão da “Consolidação no Segmento Brasileiro de Máquinas e Implementos Agrícolas – Ameaças e Oportunidades”. Ela foi conduzida por dois especialistas da consultoria PriceWatherhouseCoopers, José Resende e Francisco Brandão. O primeiro é sócio e líder de Agronegócios da Price, enquanto Brandão é diretor da consultoria. Antes do encerramento do evento, foi feito o lançamento oficial do projeto do livro “Agrishow”, que relata a trajetória da mais importante feira do agronegócio do País.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink