Perdigão antecipa tendência de fusões do setor

Agronegócio

Perdigão antecipa tendência de fusões do setor

A fusão entre a Perdigão e a Eleva é apontada por analistas de mercado como um movimento que se tornará comum no agronegócio brasileiro
Por:
266 acessos

A fusão da Perdigão S.A. e da Eleva Alimentos é apontada por analistas de mercado como um movimento que se tornará comum no agronegócio brasileiro: a concentração do mercado. Os frigoríficos bovinos já vinham com este apetite de compra, assim como as usinas sucroalcooleiras - ambos segmentos que tinham feito abertura de capital -agora outros ramos do campo também buscam ganhar escala, tornarem-se gigantes para competirem no mercado internacional. A compra - no valor de R$ 1,7 bilhão será financiada com o aumento de capital da Perdigão e não deverá elevar significativamente o endividamento da empresa. As ações da empresa encerraram o pregão da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) em queda de 1,1%.

"O mais importante é como a operação está sendo financiada: não tem piora de alavancagem (dívida bruta sobre EBITDA). Se mantém praticamente no mesmo nível de risco antes da compra", afirma Soummo Mukherjee, analista da Moody""s., empresa que fez a avaliação de rating da Perdigão. Segundo ele, em uma futura avaliação da empresa, ela pode passar do BA1 estável para o positivo com a aquisição.

Ontem, os presidentes das duas empresas detalharam a operação. Do total do negócio, apenas R$ 773,4 milhões serão pagos em dinheiro e o restante em troca de ações. A Perdigão vai adquirir 46,23% dos papéis dos acionistas majoritários e minoritários com a emissão de 20 milhões de ações primárias. O restante serão pago com a emissão de outras 20 milhões de ações, que serão trocadas - os acionistas da Eleva Alimentos terão 7,4% do capital da Perdigão, tornando-se os terceiros - atrás dos fundos Previ (14,16%) e Petros (10,87%). Nildemar Secches, presidente da Perdigão, explica que a primeira emissão será tão logo a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorize e, a segunda, no início do ano que vem.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink