Peru perdeu espaço para o frango no Paraná
CI
Agronegócio

Peru perdeu espaço para o frango no Paraná

Maior produtor e o segundo maior exportador do país
Por:
Sucursal Ponta Grossa - O peru perdeu espaço para o frango no Paraná. Enquanto a produção do frango aumentou 5,1% no ano passado, em relação a 2010, e a exportação cresceu 3,4%, no mesmo período, o nú­­mero de perus abatidos caiu 21% e a exportação da carne despencou 56%.


Os altos e baixos dos números se devem, em boa parte, à decisão da Brasil Foods de fechar o abatedouro de perus em sua unidade industrial de Carambeí, nos Campos Gerais, no final de 2009. Os avicultores tiveram que adaptar seus aviários e, desde o final de 2010, se dedicam à criação de frangos, que oferece menos riscos, apesar de dar mais trabalho.

O Paraná fechou 2011 com o número recorde de 1,39 bilhão de cabeças de frangos abatidas e se mantém como líder nacional na produção da ave mais consumida do mundo. Embora esteja em segundo lugar no ranking nacional de exportação de frangos, atrás apenas de Santa Cata­­rina, o estado registrou um au­­mento de 3,4% em 2011 em comparação com 2010 nos embarques ao exterior, que chegaram a 1,03 bilhão de quilos do produto. Santa Catarina, que é líder com 1,04 bilhão de quilos, teve um aumento de 2,2% em relação a 2010. Os números são do Minis­­tério da Agricultura.

Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Aví­­co­­las do Paraná (Sindiavipar), Domingos Martins, o aumento da produção de frangos não se deve só às mudanças entre os produtores de perus, mas à de­­manda. “O mercado interno e internacional está muito favorável e a tendência é continuar cres­­cendo”, aponta. O consumo brasileiro de carne de frango chegou a 47,4 quilos por habitante/ano em 2011.

A Perdigão possuía uma unidade de abate de perus em Ca­­ram­­beí, nos Campos Gerais. Mas, após a fusão com a Sadia, em 2009, decidiu pela transferência da linha para Mineiros, em Goiás, por uma questão de logística. A desativação foi gradativa e começou em novembro de 2009.


Os números do Paraná acompanharam a tendência nacional de queda da produção da ave, que foi de 25% desde 2008. O Paraná reduziu o abate de perus de 14,1 mil cabeças em 2009 para 12,1 mil em 2010 e 9,5 mil no ano passado. O volume exportado pelo estado caiu de 17,8 mil (2010) para 7,7 mil quilos (2011).

“Estamos fazendo uma pesquisa sobre a demanda doméstica, que termina agora em março, e pretendemos iniciar uma campanha pelo consumo interno do peru. Ainda existe um conceito de que a carne está mais voltada para o Natal e para comemorações especiais. Mas, a carne de peru é mais firme e saudável”, defende o presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubabef), Francisco Turra.

Substituição deve ser concluída em dois meses

A mudança do peru para o frango na região de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, deve ser concluída dentro de dois meses – ou seja, dois anos após o início. A previsão, conforme alguns produtores, era de que o processo durasse seis meses. Conforme informações da Brasil Foods, 97% dos produtores já migraram e 3% finalizam o processo ainda em fevereiro para começar a trabalhar com perus em março.

De acordo com o presidente da Associação dos Avicultores dos Cam­­pos Gerais, Carlos Sérgio Bon­­fim de Andrade, há 630 produtores na região integrados à Brasil Foods. “Entre 1% e 2% não mudaram para o frango porque desistiram ou porque tiveram problemas de licenciamento ambiental”, apontou.


Entre os que já regularizaram os aviários está o avicultor Lecy Mattos, de Ponta Grossa. Ele tem três barracões de 3,6 mil metros quadrados, que comportam 58 mil frangos. A adaptação dos aviários demorou mais de um ano e, desde junho de 2011, ele repassa frangos para a Brasil Foods.

O avicultor diz que não teve escolha diante da decisão da Brasil Foods, mas considera que a troca foi positiva. “Tecnicamente, o frango dá mais trabalho porque exige mais atenção, mas o risco de perda é menor. Eu ficava com os perus durante três meses na granja. Com o frango eu fico só um mês”, aponta.

Outro diferencial no manejo é a temperatura do aviário. “O peru é maior, pesa uns 20 quilos, en­­quanto que o frango pesa em média 1,5 quilo. O peru exala ca­­lor, mas o frango precisa de calor. Então, mesmo no verão, eu tenho que ligar as fornalhas à noite para aquecer o aviário.”
frango
?
Detect language » Portuguese


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.