Agronegócio

Pesquisa aponta possibilidade de temperaturas recordes

A probabilidade é de que a temperatura média do planeta fique 0,54°C acima da média
Por: -Redação
1 acessos

Fenômenos climáticos como o El Niño e o aquecimento global podem fazer de 2007 o ano mais quente da história. De acordo com pesquisa divulgada nessa quinta-feira (04-01) pelo Departamento Britânico de Meteorologia (Met Office), a probabilidade é de que a temperatura média do planeta fique 0,54°C acima da média de longo prazo (14°C), registrada entre os anos de 1961 e 1990.

Essa variação de temperatura pode superar o ano de 1998, que foi considerado o ano mais quente já registrado e teve alta de 0,52°C em relação à média de longo prazo.

A previsão foi realizada em conjunto com a Universidade de East Anglia, no Reino Unido. De acordo o Departamento de Meteorologia, as chances são de 60% para que haja esse aumento na temperatura da Terra. O El Niño e o aquecimento global foram considerados os principais fatores dentro da probabilidade.

Segundo o chefe da divisão de pesquisas aplicadas do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) em Brasília, Expedito Rebelo, o El Niño se dá com o aquecimento das águas do pacifico equatorial e provoca a elevação das temperaturas de todo o planeta. De acordo com ele, o fenômeno leva de dois a sete anos para voltar a acontecer.

“Neste ano temos um El Niño de fraco a moderado. De uma forma geral, a partir de janeiro e fevereiro, o centro sul do Brasil é um pouco mais chuvoso do que o normal. Temos um verão com temperaturas mais altas principalmente nas regiões Sul e Sudeste, enquanto que o Nordeste sofre com poucas chuvas. No mundo, temos poucas chuvas no Norte da Austrália, Indonésia, Filipinas e chuvoso no Leste da África e seco e quente no Sudeste. Já na região dos Estados Unidos, a parte Leste do país se torna mais quente”, explica.

Segundo Rebelo, o El Niño já começou, em setembro de 2006, e deve seguir até maio ou junho deste ano. No caso do aquecimento global, ele explica que a temperatura fica até 0,2°C acima do normal a cada ano. No ano mais quente já registrado, o de 1998, esse aumento foi de 0,6°C. “Essa pesquisa associa o El Niño com as altas temperaturas que vão ser possivelmente observadas em 2007”.

No entanto, para Expedito Rebelo, o estudo não pode ser considerado definitivo. Segundo ele, a Organização Meteorológica Mundial, órgão oficial da área, não divulgou nada sobre o assunto. “O estudo foi feito por uma universidade inglesa e para nós ele é independente e não responde aos órgãos oficiais de meteorologia de todos os países”, finaliza.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink