Pesquisa aponta tendências da agricultura catarinense até 2015

Agronegócio

Pesquisa aponta tendências da agricultura catarinense até 2015

O estudo visa identificar as tendências da agricultura e levantar sugestões para favorecer a competitividade
Por: -Redação
2 acessos

O espaço rural de Santa Catarina irá sofrer uma profunda transformação nos próximos 10 anos. A afirmativa faz parte de uma pesquisa sobre as perspectivas do sistema agroalimentar e do espaço urbano para o ano de 2015, cujo relatório preliminar foi apresentado nessa segunda-feira (11-12) no auditório da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri). A entidade é a responsável pela elaboração do projeto com o auxílio do Centro de Estudos de Safras e Mercados (Cepa) .

O estudo visa identificar as tendências da agricultura catarinense e levantar sugestões para favorecer a competitividade no agronegócio. Até o momento foram realizadas 114 entrevistas com representantes e dirigentes de agroindústrias, cooperativas e organizações de representantes de agricultores e consumidores de 70 municípios de diversas regiões do Estado.

A intenção é discutir os dados que forem sendo coletados em vários seminários regionais e assim que o estudo estiver concluído debater os resultados em um seminário estadual: “Nestes eventos serão apresentadas políticas públicas e privadas para que possamos aproveitar as oportunidades e evitar as ameaças à agricultura e ao agronegócio catarinense”, explica Gelson Sorgato, secretário da Agricultura e Desenvolvimento Rural. De acordo com Sorgato, uma das grandes preocupações levantadas pela pesquisa é quanto ao envelhecimento da população rural e o grande número de propriedades sem sucessores. Ele acredita que para reverter o problema é necessária a implantação de programas que visem aumentar a renda e a atratividade do campo para os jovens.

Para Airton Spies, chefe do Cepa, o modelo agrícola catarinense já foi considerado referência nacional para a agricultura familiar, mas hoje passa por dificuldades. “É preciso um reordenamento voltado às atividades de alta densidade econômica, como a produção de frutas, hortaliças e de pequenos animais e para isso, temos que utilizar a água como fator de produção e de eliminação de riscos através da irrigação”, explica.

As entrevistas coletadas pelo Cepa revelaram que apesar da crise, há otimismo quanto ao futuro dos setores agrícolas e inúmeras atividades estão sendo estabelecidas no Estado, como a produção de pequenas frutas, plantas bioativas e flores. As informações são da assessoria de imprensa da secretaria de Agricultura de Santa Catarina.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink