Pesquisa desenvolve técnica para novos cafés especiais
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,046 (0,55%)
| Dólar (compra) R$ 5,60 (-0,69%)

Imagem: Pixabay

CAFEICULTURA

Pesquisa desenvolve técnica para novos cafés especiais

Técnica possibilita que microrganismos do próprio café intensifiquem seu aroma e qualidade
Por: -Eliza Maliszewski
1153 acessos

Brasileiro gosta de um bom café e o mercado dos cafés especiais vem ganhando destaque dentro e fora do país. O mercado de café no Brasil cresce a uma média de 2% ao ano. No caso de café especiais, o crescimento é de 7% ao ano. A Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) credenciou 14 empresas exportadoras de Minas Gerais, Paraná e São Paulo, e descreve 45 variedades de cafés especiais.

Uma técnica inovadora, descoberta depois de mais de duas décadas de estudo, permite que a fermentação controlada utiliza os microrganismos do próprio café para intensificar seu aroma, sabor e qualidade. A descoberta veio de uma parceria entre a Syngenta e o Núcleo de Estudos em Fermentação (Nefer) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e abre portas para um novo perfil de café especial no Brasil. 

A técnica foi realizada em um sistema fechado de microrganismos próprios do grão do café, que produzem compostos naturais que garantem o salto aromático e qualitativo, resultando em cafés acima de 85 pontos na Avaliação Sensorial da SCA (Specialty Coffee Association). São leveduras específicas para cada tipo de café, respeitando a altitude e localização de cada fazenda. Estão em teste mais de 2 mil microorganismos. “Até o momento, selecionamos três leveduras com a capacidade de intensificar os sabores do café, que ganham toques mais frutados, de nozes e até mesmo chocolate”, ressalta a pesquisadora Rosane Schwan

Todo o processo é monitorado ininterruptamente e, com a ajuda de um aplicativo integrado, é possível saber o ponto ideal da fermentação. Objetivo é criar blends que destaquem o perfil de cada região do país e expandir o comércio internacional do café especial. 

A pesquisa agora parte para a fase de comercialização e abertura de mercados para exportação. A operação está sendo viabilizada pela Nucoffee, plataforma de negócios da Syngenta para a cadeia do café. A empresa doou kits de 20 doses de leveduras para 400 cafeicultores de diferentes localidades, como Sul de Minas Gerais, Matas de Minas, Cerrado Mineiro, Serra da Canastra e Espírito Santo. Cada dose é suficiente para tratar 60 kg de café, gerando lotes de 10 sacas por propriedade. “Estamos abrindo oportunidades de exportação com este novo perfil de café especiais, apostando em regiões que têm se tornado grandes consumidoras da bebida, como Japão, Coreia do Sul, Taiwan e Austrália, além dos Estados Unidos e da Europa em geral”, destaca Juan Gimenes, Gerente de Marketing e Novos Projetos da Nucoffee.


 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink