Pesquisa esclarece questões sobre casca do ovo

Agronegócio

Pesquisa esclarece questões sobre casca do ovo

Estudo evidenciou que ovos de criações sobre piso têm cascas mais fortes do que aqueles provenientes de galinhas criadas em gaiolas
Por: -Redação
49 acessos

Uma pesquisa sob o título “Monitoria da Quebra e da Resistência da Casca de Ovos Produzidos sob Diferentes Sistemas de Criação”, recentemente realizada na Europa, parece trazer alguma luz para questões importantes envolvendo a resistência da casca de ovo. O estudo investigou os pontos críticos causadores de quebras ou trincas, os efeitos de diferentes tipos de embalagens sobre a resistência da casca, e a ligação entre a resistência da casca e as rachaduras que ocorrem durante a manipulação. Foram avaliados ovos produzidos sob diferentes sistemas, como a criação em gaiola, em aviário sobre piso e ao ar livre.

Os sistemas clássicos de criação em gaiola foram os que apresentaram a porcentagem mais alta de quebra diretamente na postura (6,73% a 10,72%). Os demais sistemas apresentaram menor taxa de quebra. Por exemplo, 1,94% na criação sobre piso e 1,99% na criação ao ar livre.

A segunda maior percentagem de quebra, entre 1,5% a 2,65%, ocorreu na fase de seleção e embalagem. Já as quebras durante o transporte variaram entre 0,16% e 2,65%.

Detectou-se diferença significativa na resistência das cascas de ovos (rigidez e capacidade de amortecimento) conforme o tipo de criação das poedeiras, evidenciando-se que ovos de criações sobre piso têm cascas mais fortes do que aqueles provenientes de galinhas criadas em gaiolas. Curiosamente (pois contraria a crença geral), as cascas mais fracas foram as provenientes de galinhas criadas ao ar livre.

Uma correlação significativa foi encontrada entre a resistência da casca de ovo e a probabilidade de quebra durante o processo de produção e manipulação. Primeiramente, ficou demonstrado que além da postura, o empacotamento representa ponto crítico na logística dos ovos para consumo; segundo, a resistência dos ovos difere conforme o tipo de criação; e, por último, os índices de rigidez e capacidade de amortecimento são medidas aceitáveis para uma rápida determinação da qualidade do ovo, propiciando um bom indicador para a predição das possibilidades de quebra em diferentes sistemas de criação.

O estudo foi publicado na edição de setembro de 2006 da revista Poultry Science http://ps.fass.org/.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink