Peixes

Pesquisadores de MS estudam bactéria que compromete o desenvolvimento de peixes

Resultado do estudo foi publicado em revistas internacionais
Por:
55 acessos

Um grupo de pesquisadores, que desenvolveram estudos sobre bactéria que compromete o desenvolvimento de peixes, tiveram os resultados publicados em forma de artigos em revistas internacionais, como a Aquaculture Research.

O grupo, formado por pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), iniciou os estudos em 2014, através do edital Universal para a execução de projetos de pesquisa. 

Os pesquisadores estudam os parâmetros hematológicos, bioquímicos e histopatológicos de surubins híbridos, uma cruza de pintado e cachara. A espécie de peixe é muito produzida em Mato Grosso do Sul, com forte apelo comercial.

O coordenador do grupo, Dr. Carlos Eurico dos Santos, explica que o Estado é rico em rios e consequentemente em espécies de peixes. “Paralelo a isto, somos grandes produtores de espécies como o surubim, pacu e tilápia.  É de extrema importância que os alunos, dentro das universidades, enxerguem a relevância destes animais nos aspectos econômicos e ambientais”, explica o médico veterinário e doutor em fisiopatologia.

O zootecnista Robson Andrade participou do grupo como aluno de doutorado e explica como foram os processos de coleta e pesquisa nestes animais: “A pesquisa teve início com a necessidade em conhecer a Lactococcus garvieae, bactéria que vem registrando casos de surto em produções até mesmo em nosso Estado. Sendo assim, foram analisadas as principais alterações nos peixes infectados além de traçados parâmetros bioquímicos, hematológicos e hispatológicos durante 21 dias. Embora a bactéria analisada não seja responsável por um aumento significativo na mortalidade dessa espécie, sua prevalência pode comprometer seriamente o desenvolvimento e a produção desses animais”.

O edital Universal 2018 para a execução de projetos de pesquisa está com inscrições abertas até o dia 15 de fevereiro. A linha de recursos é uma realização da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul (Fundect) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink