Pesquisadores dinamarqueses criticam regulamentação europeia

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
MUNDO

Pesquisadores dinamarqueses criticam regulamentação europeia

"Nosso ponto é que as culturas transgênicas não devem ser tratadas de maneira diferente de produtos similares"
Por: -Leonardo Gottems

Três pesquisadores dinamarqueses concluíram em um novo estudo, publicado na revista Transgenic Research, que a política de regulamentações da Europa é baseada em argumentos sobre o risco e a falta de naturalidade das plantas transgênicas, mas esses argumentos não podem justificar a regulamentação restritiva. Além disso, eles concluíram também que o uso de plantas transgênicas é consistente com os princípios da agricultura orgânica. 

De acordo cm ele, as regras da União Europeia sobre os organismos geneticamente modificados (OGM) são tão restritivas que é praticamente impossível para obter a autorização para crescer uma colheita OGM na UE. “O regulamento da UE pode ser um obstáculo a uma importante inovação agrícola que poderia fornecer uma maior sustentabilidade e soluções ambientalmente amigáveis, e porque a regulamentação restrita não pode ser justificada”, comentam. 

"Se compararmos o procedimento de autorização prévia que os produtos OGM sofrem com os das culturas convencionais, fica claro que os transgênicos devem atender a exigências muito mais rígidas, com referência aos supostos riscos impostos pelas culturas OGM. Mas o fato de uma cultura ter sido geneticamente modificada [pela biotecnologia] não representa um risco. Se houvesse um risco, estaria relacionado à introdução de uma nova variedade com características desconhecidas, que pode ter efeitos adversos sobre o meio ambiente ou a saúde de humanos e animais ", explica a pesquisadora Andreas Christiansen, coautora do estudo. 

Além disso, ela indica que, “é crucial entender que a introdução de novas variedades com diferenças de composição sempre representa um risco, sejam elas geneticamente modificadas ou não. Nosso ponto é que as culturas transgênicas não devem ser tratadas de maneira diferente de produtos similares quando os riscos que representam para o meio ambiente e as pessoas são comparáveis. É por isso que as culturas transgênicas foram regulamentadas como outras novas variedades nos Estados Unidos por anos”. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink