Pesquisadores lançam publicação sobre Pecuária Familiar no RS

Agronegócio

Pesquisadores lançam publicação sobre Pecuária Familiar no RS

A expectativa é que o livro colabore para dar mais visibilidade para a pecuária familiar
Por:
956 acessos

A expectativa é que o livro colabore para dar mais visibilidade para a pecuária familiar

Nesta sexta-feira (04/11), foi lançado a publicação "Pecuária Familiar no Rio Grande do Sul: história, diversidade social e dinâmicas de desenvolvimento" (acesse aqui), na Feira do Livro de Porto Alegre. A obra, lançada pela editora da UFRGS, é uma compilação de vários materiais científicos gerados por diferentes instituições sobre o tema, desde o ano 2000 até os dias atuais. Dois pesquisadores da Embrapa fazem parte deste trabalho: Marcos Borba (Embrapa Pecuária Sul) e Rafael Gastal Porto (Embrapa Roraima). Na época em que escreveu o capítulo "Perfil socioprodutivo dos pecuaristas familiares em Bagé-RS", Rafael Porto estava lotado na Embrapa Clima Temperado (RS). Marcos Borba, além de autor do capítulo "Desenvolvimento territorial endógeno: o caso do Alto Camaquã", também é um dos organizadores do livro.

Segundo Borba, a ideia de se fazer o livro surgiu há pouco mais de cinco anos, quando se vislumbrou lançar uma perspectiva histórica sobre a pecuária familiar no Estado gaúcho. "Percebemos que desde o princípio existia pecuária familiar no Rio Grande do Sul. Então, aquela ideia de que o Estado foi povoado unicamente com base no latifúndio não se cunha como totalmente real. A pecuária familiar sempre foi presente e tem motivado interesse mais recentemente. A experiência do Alto Camaquã está ali contemplada pela importância que acabou assumindo, devido aos muitos trabalhos que foram realizados, principalmente na dimensão social", conta o pesquisador e autor.

A expectativa é que o livro colabore para dar mais visibilidade para a pecuária familiar. "Esse tema tem uma enorme importância histórica e cultural. Hoje, a pecuária familiar ao mesmo tempo que produz, exerce um papel fundamental na conservação. Atualmente, os maiores contingentes de campo que ainda sobrevivem estão sob uso e controle da pecuária familiar, que tem características distintas, seja do ponto de vista social, seja produtivo. Destaco ainda o fato de ela possuir um vínculo muito mais forte da produção pecuária sobre campo nativo. Estas são características históricas, mas que hoje começam a assumir um papel de oportunidades num mundo contemporâneo", aponta Borba.

Serviço

Baixe gratuitamento o livro.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink