Pesquisadores querem retardar crescimento de suínos

Imagem: Pixabay

ESTUDO

Pesquisadores querem retardar crescimento de suínos

Descoberta pode favorecer granjas quando a venda for impossível
Por: -Eliza Maliszewski
175 acessos

Com o início da pandemia de coronavírus muitos frigoríficos fecharam e muitos animais em ponto de abate não puderam esperar. Nos Estados Unidos e empresários do ramo de suínos alertaram para um possível abate de mais de 10 milhões de animais até setembro para descarte.

Descobertas recentes da Universidade Estadual do Kansas, nos EUA, podem evitar situações como essa. Um estudo foi capaz de retardar o crescimento de suínos durante a Covid-19 até que as fábricas reabrissem. 

O experimento reduziu as fontes de proteínas, ou seja, aminoácidos, da dieta dos animais. Eles se concentraram em suínos pesando 200 quilos, visando os últimos 70 a 80 quilos que esses animais precisavam para atingir o peso do mercado. Com isso foram pelo menos quatro semanas a mais.

Foram testadas quatro dietas para comparar o efeito da redução da lisina no crescimento dos porcos. "Uma coisa que aprendemos é que você não deseja iniciar essas dietas com pouca proteína muito cedo porque quando eles têm níveis muito altos de deposição de proteínas, podemos causar alguns vícios (problemas), e é aí que você tem algumas dificuldades no lado do bem-estar animal. Mas se iniciarmos essas dietas depois que elas pesem 200 quilos ou mais, não observamos efeitos adversos nos porcos”, relatou um dos pesquisadores.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink