Solos

Pesquisadores trabalham no levantamento das propriedades hidráulicas dos solos de São Luís (MA)

Este trabalho tem como um dos seus objetivos estudar aquíferos importantes para o abastecimento de água em grandes cidades
Por:
36 acessos

As diferentes classes de solos que ocorrem no Brasil têm capacidade de infiltrar, reter e conduzir água em diferentes níveis. O conhecimento destas propriedades é essencial para diversos estudos, incluindo estudos hidro geológicos de recarga dos aquíferos.

A Embrapa, em parceria com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), tem participado das avaliações da infiltração e condução da água em experimentos no campo, no Projeto Estudos Hidrogeológicos da Região Metropolitana de São Luís (Agência Nacional de Águas/ANA – CPRM). Este trabalho tem como um dos seus objetivos estudar aquíferos importantes para o abastecimento de água em grandes cidades. “Já fizemos duas expedições para avaliação das propriedades hidráulicas do solo nos diversos solos da região metropolitana da Ilha de São Luis, que engloba cinco municípios, é uma oportunidade incrível de interação com os colegas da CPRM e UEMA, e de contribuir com esse projeto para a segurança hídrica da Ilha de São Luís, minha terra natal”, diz Alba Martins, pesquisadora da Embrapa Solos (Rio de Janeiro, RJ)

Métodos

O método tradicional de avaliação da infiltração da água no solo é conhecido como método do duplo anel: dois cilindros concêntricos são cravados no solo, e a infiltração é avaliada através da redução do volume de água dentro do cilindro interno.

As avaliações da condutividade hidráulica saturada do subsolo vêm sendo realizadas com permeâmetros de Guelph. Neste estudo está também sendo avaliado e validado o protótipo de um equipamento que faz a coleta automática dos dados do permeâmetro, numa parceria com Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF).

“O fenômeno da infiltração e transmissão da água no solo é bastante complexo, pois os valores da velocidade da infiltração mudam com a variação da estrutura, granulometria e mineralogia do solo. Neste projeto, graças às falésias da região, podemos fazer avaliações em camadas de até 40 metros de profundidade” relata o também pesquisador da Embrapa Solos, Wenceslau Teixeira.

A Embrapa Solos criou recentemente um laboratório com foco nas avaliações de infiltração, retenção e transmissão da água no solo, o Laboratório de Avaliação e Modelagem da Água no Solo (LAMAS).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink