Petrobras reduz preço da gasolina, mas para consumidor pode não cair na mesma proporção

Agronegócio

Petrobras reduz preço da gasolina, mas para consumidor pode não cair na mesma proporção

A Petrobras anunciou na noite de terça-feira, 08 de novembro, nova redução nas refinarias do preço da gasolina e do óleo diesel
Por:
394 acessos

A Petrobras anunciou na noite de terça-feira, 08 de novembro, nova redução nas refinarias do preço da gasolina e do óleo diesel. Entretanto, em decorrência ao aumento do preço de etanol anidro misturado na gasolina, o preço final do litro do derivado do petróleo pode não cair ao consumidor na mesma proporção. A nova redução nas refinarias para o óleo diesel foi de 10,4% e para a gasolina de 3,1%. E, caso o reajuste venha a ser repassado integralmente ao consumidor a gasolina pode cair 1,3% ou R$ 0,05 por litro, enquanto o óleo diesel 6,6% ou cerca de R$ 0,20 por litro.

Este é o segundo anúncio de redução do preço da gasolina e do óleo diesel nas refinarias feito pela estatal em menos de um mês. No dia 14 de outubro a Petrobras havia anunciado a adoção de uma nova política de preços, onde, na ocasião, havia diminuído em 2,7% o preço do óleo diesel e 3,2% da gasolina.

Apesar da adoção de uma nova política de preços para os derivados do petróleo, com o intuito de que os preços fiquem mais alinhados aos valores do mercado externo, na ponta o consumidor não sentiu os efeitos da retração no litro da gasolina, uma vez que a alta do preço do etanol anidro subiu em torno de 40% nos últimos meses. Hoje, o etanol anidro representa 27% da composição da gasolina.

A gasolina, de acordo com a ANP, apresentou de R$ 3,71 para R$ 3,70 no preço médio no Estado no comparativo da última semana de outubro com a primeira de novembro. Porém, ao se avaliar o preço mínimo e o máximo do litro comercializado em Mato Grosso verifica-se "estabilidade" nas últimas duas semanas de R$ 3,49 (mínimo) e R$ 4,17 (máxima).

Em recente entrevista ao Agro Olhar, o presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), Paulo Miranda Soares, pontuou que os postos não podem comprar diretamente das refinarias, o que poderia proporcionar a redução aos consumidores. 

"Porém, a dificuldade dos postos é que há distribuidoras que compram a gasolina pura e misturam o etanol anidro, como consta na lei. Acontece que em cerca de dois meses o litro do etanol anidro nas usinas subiu em torno de 40% na região Sudeste com a entrada da entressafra por lá. Consequentemente esse aumento de preço do anidro anulou a queda do valor da gasolina", declarou o presidente da Fecombustíveis na ocasião a reportagem.

Como o Agro Olhar comentou recentemente também, a Fecombustíveis solicitou encaminhou para a Agência Nacional do Petróleo (ANP), para o Ministério de Minas e energia (MME) e para o Conselho Nacional de Política energética (CNPE) um pedido de redução da mistura de etanol anidro na gasolina no período da entressafra, o que minimizaria o valor do derivado do petróleo.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink