Pico da safra de cana faz etanol bater gasolina

Agronegócio

Pico da safra de cana faz etanol bater gasolina

Tendência é que combustível fique mais barato nos próximos meses
Por:
1322 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Tendência é que combustível, hoje com preço médio de R$ 2,03, fique ainda mais barato nos postos nos próximos meses

A proximidade do pico da safra de cana-de-açúcar, que acontece entre os meses de julho e agosto, fez com que o etanol voltasse a ficar mais competitivo do que a gasolina nos postos de combustíveis do Paraná. O preço médio do litro do biocombustível na bomba caiu 3% em junho na comparação com o mês anterior – de R$ 2,09 para R$ 2,03, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

De acordo com o levantamento da ANP, a relação de preço etanol/gasolina na semana de 15 a 21 de junho foi de 69%, ou seja, o combustível de cana estava custando 69% do preço do derivado de petróleo. A troca da gasolina pelo etanol só é vantajosa quando essa relação for de até 70%, que é o índice tradicionalmente aceito pelo mercado. Porém, essa regra depende muito do modelo dos veículos e não se aplica em todos os casos. Mesmo com variações entre modelos de automóveis, a conta padrão do mercado mostra que, desde o início de junho, tem sido mais vantajoso abastecer com etanol.

Como os preços variam de acordo com a cidade, é importante fazer a conta antes de escolher o combustível. Em Curitiba, as bombas mostram valores médios de etanol e gasolina em R$ 1,98 e R$ 2,85, respectivamente. O litro etanol também pode ser encontrado na capital a R$ 1,86, reflexo da maior oferta do biocombustível no mercado. “Mesmo em outros meses eu só abasteço com etanol, que é mais vantajoso para o meu carro. Gasto R$ 30 por semana”, conta a professora Leila Camargo, que é dona de um Renault Sandero, 1.0.

Nos próximos dois meses, durante o pico da safra de cana, a tendência é que o preço do etanol continue a cair. “A pressão de baixa nos preços ao consumidor vai chegar, mas não sabemos até quando deve durar”, explica Paola Jurca Grigolli, da Scot Consultoria, empresa dedicada à área agrícola. Isso porque as dificuldades financeiras enfrentadas pelo setor sucroenergético desde 2008 e a estiagem dos primeiros meses deste ano atrasaram o início da safra em algumas usinas.

Nos meses anteriores, quem ganhava na comparação era a gasolina. No início da safra, em abril, os dados da ANP mostravam que no Paraná o etanol estava custando 71% do preço da gasolina (R$ 2,14 e R$ 2,98). Em maio, a chegada da safra de cana ao mercado proporcionou uma queda nos preços do etanol ao consumidor e o biocombustível ficou mais competitivo frente à gasolina (R$ 2,09 e R$2,97). Apesar disso, ainda valia a pena abastecer com o derivado do petróleo.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink