Plano Agrícola e Pecuário traz mais benefícios aos produtores gaúchos

Agronegócio

Plano Agrícola e Pecuário traz mais benefícios aos produtores gaúchos

Intenção do governo é estimular a diversificação
Por: -Joana
2955 acessos
Com a finalidade de discutir os problemas enfrentados pelo setor primário com base na apresentação do Plano Agrícola e Pecuário safra 2011/2012, representantes do Governo Estadual e Federal se reuniram, nessa terça-feira (05), no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Porto Alegre.

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), José Carlos Vaz, apresentou o Plano Agrícola e Pecuário da atual safra e o planejamento da Política Agrícola. Conforme Vaz, o estado do Rio Grande do Sul conta com recursos de custeio e crédito rural. “Devemos qualificar os produtores com cursos de capacitação e estabelecer metas que garantam renda ao produtor”, afirmou. Para isso, o secretário alerta para a importância de um planejamento que aumente a produtividade e a rentabilidade, além de promover políticas para o pequeno e o grande produtor rural.

Os produtores rurais terão mais recursos para financiar a próxima safra, que começa em julho. O governo federal vai destinar R$ 107,2 bilhões para a agricultura empresarial. O valor é 7,2% superior ao destinado no ciclo 2010/2011. O crédito faz parte das ações do Plano Agrícola e Pecuário 2011/2012 (PAP) que foi anunciado no dia 17 de junho pela presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi. Entre as novidades do plano estão linhas de financiamento específicas para pecuária que permitirão a compra de matrizes e reprodutores e recursos para renovação e expansão de canaviais.

Segundo Vaz, a intenção do governo é estimular a diversificação da atividade agrícola, beneficiando igualmente produtores de commodities, voltados para a exportação, e produtores que abastecem o mercado interno. Ao todo, serão R$ 80,2 bilhões destinados a custeio e comercialização da safra, 6% a mais que o direcionado no ciclo 2010/2011. Desse valor, R$ 64,1 bilhões poderão ser contratados a juros controlados, com taxas fixas de 6,75% ao ano.

De acordo com o superintendente federal do Mapa, Francisco Signor, o objetivo é buscar o alinhamento das políticas públicas e estabelecer linhas de crédito mais adequadas. Para o secretário adjunto da secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Claudio Fioreze, o Plano Agrícola e Pecuário da safra 2011/2012 deve estar alinhado com o Plano Estadual.

Participaram também, o delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário no Rio Grande do Sul, Nilton Pinho de Bem, Superintendente Federal do Ministério da Pesca, Adriane Lobo, o secretário de Desenvolvimento Rural e Cooperatismo, Ivar Pavan, o presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), Claudio Pereira, o presidente da Emater, Lino De David, o chefe de Gabinete do Irga, César Marques Pereira, e o assessor técnico da política setorial do Irga, João Felix.
 
As informações são da assessoria de imprensa do Irga

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink