Plano de Ação melhora recepção da safra de soja em Rio Grande/RS

Agronegócio

Plano de Ação melhora recepção da safra de soja em Rio Grande/RS

Ação reduz as filas de caminhões na BR-392 e a espera para desembarque das cargas
Por:
2688 acessos
O Plano de Ação da Safra de Soja 2011, em vigor no Porto do Rio Grande desde 1º de abril, vem atingindo seus objetivos, reduzindo as filas de caminhões na BR-392 e a espera de parte dos caminhoneiros para desembarque das cargas. A afirmação é feita por caminhoneiros e pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). “Houve aumento da produção nesta safra e a estrutura de recebimento ainda é a mesma, mas temos (todos os envolvidos no plano) conseguido, com processos gerenciais, equacionar os problemas e dar o devido andamento. Tem melhorado bastante o processo de chegada dos caminhões e atendimento nos terminais”, diz o policial rodoviário federal Fabiano Góia, chefe adjunto do posto da PRF na BR-392, entre Rio Grande e Pelotas.


Ele relata que em alguns dias, quando chega maior quantidade de veículos com grãos, ocorrem pequenas filas próximo à entrada de terminais (quilômetros oito e dez) e imediações dos postos onde há estacionamentos, mas a PRF faz contato com os responsáveis pelos locais e logo o problema é resolvido. Caminhoneiros que na última sexta-feira aguardavam o chamado para descarga, no pátio de um posto de combustível próximo ao Superporto, relataram que o tempo de espera reduziu, apesar de que, mesmo com agendamento da carga para desembarque, eles ainda ficam aguardando em torno de 24 horas. Isso porque o atendimento para descarga tem atrasado um turno.

O motorista Ênio Luis Kauwiatusz, 50 anos, que trouxe para o terminal Tergrasa 36 toneladas de soja, de Frederico Westphalen, contou ter chegado em Rio Grande às 6h da manhã de sexta, pois o desembarque da carga estava agendado para o período das 6h às 12h. Já era meio-dia e ele, assim como vários outros, ainda não tinha sido chamado. O terminal ainda estava trabalhando os agendados para o turno da meia-noite às 6h. “Ficamos em torno de 12h no estacionamento e mais 12h no pátio do terminal. Às vezes a gente viaja a noite toda para cumprir o horário de agendamento e eles (terminais) não cumprem”, observa.


Os caminhoneiros Maurício Lima da Silva, 33 anos, e Jean Rieder, 24 anos, ambos vindos de São Luiz Gonzaga, que se encontravam no mesmo estacionamento, reafirmaram as palavras de kauwiatusz. Mas os três afirmam que a espera reduziu e a situação está bem melhor. “No máximo chegamos em um dia e descarregamos no outro”, observaram.

O policial rodoviário Fabiano Góia lembra que no início do escoamento da safra eram registradas filas de caminhões de até três quilômetros na rodovia. Agora, mesmo com o tráfego intenso de caminhões carregados com grãos, principalmente soja, isso já não acontece. Porém destaca que para as próximas safras se faz necessário um planejamento mais adequado. “No momento, as medidas adotadas com o Plano de Ação estão atendendo as demandas e necessidades”, concluiu. O Plano de Ação da Safra 2011 incluiu, entre outras medidas, o agendamento prévio de cargas e aumento do espaço para estacionamento dos caminhões.


O Plano de Ação envolve a Superintendência do Porto do Rio Grande (Suprg), a PRF, Polícia Federal, Receita Federal, Polícia Civil, Brigada Militar, concessionária da rodovia, ALL e terminais privados.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink