Plano Nacional avança para proteger polinizadores
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,046 (0,55%)
| Dólar (compra) R$ 5,60 (-0,69%)

Imagem: Pixabay

ABELHAS

Plano Nacional avança para proteger polinizadores

"Os bons resultados do Colmeia Viva advêm de investimentos na difusão de informações"
Por: -Leonardo Gottems
850 acessos

O Movimento Colmeia Viva, uma iniciativa do setor de defensivos agrícolas voltada para proteger as abelhas, anunciou que está avançando em seu Plano Nacional de Ações voltadas ao bem-estar dos polinizadores. Até o dezembro, o movimento buscará construir uma relação mais produtiva entre agricultura e apicultura, segundo o coordenador do movimento e especialista em uso correto e seguro de agroquímicos, o médico veterinário Daniel Espanholeto. 

De acordo com ele, o movimento também interage em caráter permanente com associações de apicultores, secretarias estaduais de Agricultura e entidades ligadas ao agronegócio. Essa ação conjunta tem por objetivo estimular a formalização da atividade apícola como um caminho estratégico na boa relação entre agricultura e apicultura e da proteção das abelhas e do meio ambiente. 

“Os bons resultados do Colmeia Viva advêm de investimentos na difusão de informações com objetivo de promover o uso correto e seguro de defensivos agrícolas, o manejo adequado das colmeias e a formalização do pasto apícola. Essa relação protege abelhas e mitiga incidentes na fronteira agrícola”, resume Espanholeto. “A indústria reconhece seu papel estratégico na integração entre agricultor e apicultor. Ações compartilhadas geram benefícios econômicos mútuos”, completa. 

Entre os principais resultados do Colmeia Viva colhidos desde o início do movimento, em 2014, Daniel Espanholeto destaca que houve redução significativa dos relatos envolvendo mortes de abelhas que chegam aos canais de atendimento disponibilizados a agricultores e apicultores, entre estes o serviço de Assistência Técnica.  

Além de São Paulo, figuram como alvos do Colmeia Viva áreas da Bahia, de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. “São locais onde a atividade apícola é relevante e havia alguns relatos de incidentes com abelhas. Passamos a levar até lá serviços de apoio a agricultores e apicultores, como Colmeia Viva APP, Manual de Boas Práticas, Assistência Técnica e treinamentos, em nível de campo e no ambiente digital”, conclui a engenheira agrônoma Rhaissa Michievicy, analista de uso correto e seguro do Colmeia Viva. 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink