Plantio de algodão avança em Mato Grosso
CI
Agronegócio

Plantio de algodão avança em Mato Grosso

Estado responde por 50% da produção nacional, mas contratos na BMM tiveram baixa liquidez
Por:

Estado responde por 50% da produção nacional, mas contratos na BMM tiveram baixa liquidez

Segundo dados divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a última safra de algodão teve uma área total plantada de 1.304,7 milhões e hectares, superior 56,1% em relação de 2010. Esses avanços aconteceram em função da alta nos preços provocada pela redução nos estoques mundiais. Ainda de acordo com o órgão, a região Centro-Oeste participa com 64% do total da área plantada, um aumento de 57,4%, com destaque para os estados de Goiás e Mato Grosso. O Nordeste responde por 33% da produção e a Bahia, Piauí e Maranhão são s maiores produtores.

Cerca de 20 anos trás, era difícil imaginar que o Centro-Oeste se tornaria a maior região produtora e algodão do país. Tradicionalmente eram estados do Sul, Sudeste e Nordeste concentravam as maiores lavouras da cultura. Os números apontam que há alguns anos Mato Grosso passou a ser o principal produtor de algodão do Brasil, com uma fatia equivalente a quase 50% da produção nacional. Na avaliação de Daniel Latorraca, gestor do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), a área estimada para esta temporada é de 733 mil hectares. Já a previsão da Conab aponta que a safra brasileira algodão chegará em 1,99 milhão de toneladas em 2011/12, com Mato Grosso produzindo 975 mil toneladas.

Em relação ao plantio, segundo o último balanço do Imea, a segunda quinzena do mês de janeiro proporcionou bons avanços, principalmente pela queda do volume de chuvas. Até 27 de janeiro, cerca de 83% da área já havia sido semeada, restando 124.620 ha se a área estimada pela Ampa/Imea for confirmada. Como a janela de plantio está chegando ao fim, produtores de algodão têm a meta de terminar o plantio nos próximos 15 dias. Dessa forma, enquanto o plantio acontece, a comercialização da pluma continua lenta.

Conforme estimativa da Ampa, apenas 48% da produção 2011/12 de Mato Grosso foram comercializados. A indefinição da área do produtor ou a esperança de que os preços subam nos próximos meses, influencia o fechamento dos negócios. A Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM), registradora de parte dos contratos de algodão em pluma, obteve uma baixa liquidez no mês de janeiro, principalmente para contratos originados no Estado de Mato Grosso. Até 26 de janeiro, foram comercializadas 12.202 toneladas em Mato Grosso e 29.378 toneladas no Brasil para esta safra 2011/12.

Com a produção de pluma estimada em aproximadamente 1 milhão de toneladas, ainda restam 528,4 mil toneladas a serem comercializadas. Conforme o diretor da Siap Agronegócios, Nivaldo Alves Pereira, mesmo com um aumento significativo na área plantada, um incremento na produção acontece com a utilização de produtos que atendam essas demanda. A cada dia surgem empresas lançando produtos destinados à nutrição da planta, mas muitas vezes, sua qualidade não satisfaz o que o campo precisa. Segundo o diretor, é preciso que as culturas possam expressar de maneira significativa seu potencial de produção. Para Nivaldo, trabalhar com a cultura do algodão é algo que exige do profissional habilidade e entendimento da fisiologia da planta. Manter o equilíbrio nutricional e o balanço hormonal (Auxina, Citocinina e Giberelina) no algodão é um desafio complexo.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.