Plantio de safrinha “bastante lento”: DATAGRO
CI
Imagem: Divulgação
PROJEÇÃO

Plantio de safrinha “bastante lento”: DATAGRO

Milho de verão “avançou um pouco melhor e ainda se encontra em ritmo superior”
Por: -Leonardo Gottems

De acordo com o levantamento da DATAGRO, o plantio do milho da safra de inverno na região Centro-Sul do Brasil está “bastante lento”, com apenas 11,8% da área nacional projetada semeada até a última sexta-feira, 12 de fevereiro, contra 3,6% da semana anterior. “O fluxo está bem atrás dos 31,7% de 2020 e dos 30,3% da média dos últimos cinco anos”, pontua a Consultoria. 

Segundo eles, os trabalhos estão limitados a 19,0% no Mato Grosso, 10,7% no Paraná, 10,0% em São Paulo e 8,0% em Minas Gerais. “Mesmo com uma janela de plantio mais apertada, ainda é possível esperar uma safra expressiva, caso o clima permita primeiro a semeadura, e depois garanta umidade até março/abril”, analisa o coordenador de Grãos da DATAGRO, Flávio Roberto de França Junior.

COLHEITA MILHO DE VERÃO

Com relação ao milho de verão, a DATAGRO informa que a colheita “avançou um pouco melhor e ainda se encontra em ritmo superior ao normal”, puxada basicamente pelo avanço em 41% da área do Rio Grande do Sul, 23% em Santa Catarina e 18% no Paraná. Na média da região Centro-Sul, foram colhidos 20,6%, ante 14,6% na semana passada, pouco acima dos 17,8% no mesmo período da temporada anterior e dos 15,5% da média dos últimos cinco anos. “A safra teve perdas significativas no Rio Grande do Sul e Santa Catarina pela falta de chuvas entre setembro e novembro”, conclui a Consultoria.

De acordo com a AgResource, os modelos climáticos apontam para recuperação e fortalecimento do La Niña ao longo de março, projetando padrão extremamente quente e seco ao longo do mês e impactando diretamente as províncias produtoras argentinas durante seu principal período de desenvolvimento vegetativo. “Com os atuais níveis de estoques/uso dos principais exportadores de soja (EUA, Argentina e Brasil) nas mínimas dos últimos 23 anos, qualquer redução de oferta na Argentina ou Brasil, será determinante para o racionamento da demanda”, dizem os analistas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink