Plantio do milho não avança por causa do atraso na colheita da soja
CI
Agronegócio

Plantio do milho não avança por causa do atraso na colheita da soja

As plantadeiras ainda aguardam as colheitadeiras concluírem a retirada da soja que está no campo
Por:
O plantio do milho de segunda safra em Mato Grosso ainda não avançou como os agricultores planejavam, por causa do excesso de chuvas durante todo o mês de janeiro, o que impede a colheita da soja. As plantadeiras ainda aguardam as colheitadeiras concluírem a retirada da soja que está no campo.


De acordo com o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea), até a última sexta-feira, apenas 3,1% da “safrinha” – projetada em 2,2 milhões de hectares - havia sido semeada. Todavia, apesar da “nebulosidade” em torno da retirada da oleaginosa e semeio do cereal, o plantio deste ano é 1,9 ponto porcentual maior do que o registrado na safra passada, quando, em 27 de janeiro de 2011, apenas 1,2% da safra de milho estava plantada.

Conforme as informações do Imea, o maior índice de plantio registrado por município, na atual safra, é de 9%, em Sapezal, seguido de 4% registrados em Sorriso, Tapurah, Campo Verde e Primavera do Leste, e de 3% em Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Ipiranga do Norte, Nova Ubiratã, Santo Antônio do Leste e Tangará da Serra.


Em meio ao processo de colheita e plantio, os produtores rurais preocupam-se com dois problemas. O primeiro é o surgimento de doenças nas lavouras de soja por causa do excesso de chuvas – e a conseqüente perda de produção – e com a eventual perda da “janela ideal” para plantar o milho (que é o mês de fevereiro), o que também pode causar quebra de rendimento.

Caso haja problemas com o semeio do milho, alguns agricultores poderão ter problemas, inclusive, para honrar contratos de venda feitos de forma antecipada. O último levantamento do Imea aponta que 53,3% do cereal da safra 2011/12 já está comercializado. Portanto, os produtores já possuem 5,2 milhões de toneladas contratadas. Em contrapartida, muitos não estão encontrando sementes de alta tecnologia e as que já se encontram de posse do agricultor não seriam suficientes nem para saldar a dívida dos insumos adquiridos.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.