Política de Estado para a Aviação Agrícola brasileira em discussão

Agronegócio

Política de Estado para a Aviação Agrícola brasileira em discussão

"No Brasil não existe uma política de estado adequada e eficiente para Aviação Agrícola"
Por: -Joana
2355 acessos
Preocupação comum entre aqueles que trabalham no meio agrícola, o uso de adequada Tecnologia de Aplicação tem sido motivo de discussão e até discórdia em alguns casos, por conta da necessidade do “acerto” no alvo. Se no passado pouco, ou quase nenhuma atenção era dispensada para esta etapa do manejo no campo, hoje, boa parte dos profissionais está preocupada em adequar e usar a melhor técnica disponível.


Se não é possível usar a mesma receita para todos os tratamentos e culturas, já se sabe que é possível usar diferentes tecnologias: aéreas e terrestres para as diferentes aplicações.

Entretanto, segundo Jeferson Luís Rezende, infelizmente, no Brasil não existe uma “política de estado” adequada e eficiente para tratar dos assuntos relacionados à Aviação Agrícola. “Enquanto observamos nos EUA a existência de Centros Técnicos de Formação e de Reciclagem de Mão de Obras para a Aviação Agrícola, como o da Universidade de Louisiana; não vemos avançar o velho Projeto do ‘Centro Nacional de Excelência em Aviação Agrícola’, criado pelo MAPA há alguns anos’”, aponta.


Para saber mais sobre este assunto, clique aqui e acesse a coluna completa de Jeferson Luís Rezende.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink