Por dentro da safra: começamos o plantio do tabaco
CI
Imagem: Marcel Oliveira
FUMICULTURA

Por dentro da safra: começamos o plantio do tabaco

Os produtores vivem essa angústia de tentar acertar o que é melhor para sua safra
Por:

Temos pela frente mais uma semana que, conforme a previsão do tempo, será de muito frio. Esse cenário deixa todo o meio rural do Sul do Brasil em expectativa, porque muitos produtores já realizaram o plantio do tabaco e outros estão envolvidos nessa etapa, ou se programavam para fazer o transplante por esses dias. E frio intenso, que normalmente vem acompanhado de geada, é um risco enorme para a safra.

Até o fim da tarde de segunda-feira, 26, chovera 45 milímetros durante o dia aqui na propriedade. A gente sabe que o inverno é a época das baixas temperaturas, mas quando elas realmente baixam muito, ou o frio é continuado, a ameaça para a agricultura e as pastagens dos animais é grande.

Aqui em casa, o plano era iniciar o transplante das mudas de tabaco por volta do dia 15, como eu havia informado em colunas anteriores. Mas a persistência de dias frios fez com que a gente adiasse um pouco, e assim começamos a plantar na semana passada os primeiros 22 mil pés na área preparada pelos meus pais, seu Aloísio e dona Rosa. Ainda ficaram mais 3 mil do total deles para plantar tão logo seja possível. Na foto em destaque, eu e minha esposa, Louvane, estamos ajudando os meus pais nessa tarefa do transplante.

Terra pronta e mudas também no ponto

Não só as nossas lavouras estão com a terra pronta para fazer o transplante, como mostro na foto abaixo, como as mudas estão no ponto ideal nas bandejas, nos canteiros. Eu e minha esposa pretendemos plantar 50 mil pés. Tão logo passe o frio previsto para esta semana, devemos concluir o plantio. Cada semana de atraso agora significa uma ou duas semanas a mais lá no final, na colheita, quando o sol costuma ser muito forte, o que pode afetar a qualidade, bem como há risco de estiagem. Claro, não adianta apressar demais o transplante agora e correr o risco de as mudas serem queimadas por geada ou vento muito frio. Os produtores vivem essa angústia de tentar acertar o que é melhor para sua safra.

Colonos, motoristas, avós: parabéns a todos

Se no domingo tivemos o Dia do Colono e do Motorista, duas categorias às quais deixo aqui mais uma vez o meu parabéns e um obrigado por tudo o que representam para a sociedade, nessa segunda foi a vez de homenagear os avós! Por isso, deixo aqui igualmente meu reconhecimento ao papel que meus avós tiveram em minha vida, em minha formação, por seu esforço e empenho, que serve de exemplo para mim e minha família. Tantas coisas importantes aprendi com eles, e que levarei comigo para sempre. Deixo um grande abraço a todos os vovôs pelo seu dia!


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.