Porto de Paranaguá (PR) exportou 54% do milho brasileiro

Agronegócio

Porto de Paranaguá (PR) exportou 54% do milho brasileiro

Dos 4,41 milhões de toneladas de milho da produção nacional que saíram pelos portos brasileiros, 2,41 milhões de toneladas foram exportadas pelo Porto de Paranaguá
Por: -Silvano
72 acessos

O Porto de Paranaguá escoou 54,71% de todo o milho brasileiro exportado no primeiro semestre deste ano. Dos 4,41 milhões de toneladas de milho da produção nacional que saíram pelos portos brasileiros, 2,41 milhões de toneladas foram exportadas pelo Porto de Paranaguá. Em segundo e terceiro lugares na lista estão o porto de São Francisco do Sul (SC), com 16,62% do escoamento do milho, e o porto de Santos (SP), com 6,29%. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

No comparativo com o mesmo período do ano passado, foi registrado um aumento de 25% nas exportações de milho por Paranaguá. O Paraná é o maior produtor de milho do Brasil e escoa grande parte de sua produção pelo Porto de Paranaguá. De janeiro a julho, chegaram até o terminal paranaense 59.768 caminhões carregados com milho. Destes, 71,16% provenientes do Paraná, 12,73% do Mato Grosso e 5,32% do Mato Grosso do Sul.

Os navios Sea Mild e Fassa deixaram o Porto de Paranaguá nesta quinta-feira (16) carregando cada um 35 mil toneladas de milho. O primeiro, de bandeira panamenha, com destino ao porto de Roterdã (Holanda). O Fassa, de bandeira maltesa, veio da Argentina e seguiu para a Coréia do Sul.

De acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, este ano o Paraná está colhendo quase 14 milhões de toneladas de milho, o segundo maior volume desde a safra 2002/2003, que foi recorde com a colheita de 14,4 milhões de toneladas do produto. Apesar do aumento das exportações, não foram registradas filas de caminho com destino ao porto paranaense.

Os bons preços pagos pelo cereal no mercado externo têm incentivado os produtores a aumentarem a área plantada. A tonelada do milho brasileiro está valendo US$ 50 a mais, chegando a US$ 200 a tonelada, o que foi considerado como o preço máximo atingido pelo mercado internacional em sua história. O milho plantado em países como os Estados Unidos, onde a cultura predominante é a transgênica, tem a tonelada cotada a US$ 150.

Segundo o boletim econômico Safras & Mercado, esse ágio de US$ 50 é pago porque há garantia que o milho brasileiro é convencional enquanto nos Estados Unidos 73% da área de milho plantada foi realizada com sementes transgênicas e fecundação cruzada, praticamente eliminando a existência de milho convencional para atender a demanda européia. No Brasil, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) proibiu a comercialização de qualquer variedade de milho transgênico. As informações são da assessoria de imprensa da Famato.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink