Porto de Paranaguá espera pelas safras de soja e milho
CI
Agronegócio

Porto de Paranaguá espera pelas safras de soja e milho

A estimativa de aumento na produção de grãos no Paraná vai estimular as exportações pelo Porto de Paranaguá
Por:

A estimativa de aumento de quase 27% na produção de grãos no Paraná vai estimular diretamente as exportações pelo Porto de Paranaguá. Técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria Estadual de Agricultura, estimam que haverá crescimento de pouco mais de 30% nos embarques de soja e milho, em virtude do aumento no cultivo. No ano passado, os dois produtos somaram 7,4 milhões de toneladas exportadas. Para este ano, a meta é superar os 8 milhões de toneladas.

O incremento no cultivo da oleaginosa reflete-se diretamente no cais. Ontem, o navio “Grain Express” estava carregando 60,2 mil toneladas de soja com destino a Amsterdã. Nas próximas 48 horas, está sendo esperado o navio liberiano Yangtze River que carregará 42 mil toneladas para Liverpool. Ao largo, aguardando para atracar, seis navios deverão embarcar nos próximos dias mais de 330 mil toneladas do produto. Com estes embarques o porto incrementará as exportações, que desde janeiro somaram 433.871 toneladas.

Para atender com eficiência o escoamento dos grãos paranaenses e brasileiros, o Porto de Paranaguá se prepara com antecedência, realizando manutenção preventiva nos berços de atracação do Corredor de Exportação e nos equipamentos que integram o sistema. Entre novembro e fevereiro de cada ano é realizada uma revisão geral das partes mecânica e elétrica, além de limpeza, lavagem, pintura, reparos de equipamentos, substituição de peças e instalação de novas.

Comércio externo:

Em 2006, o Porto de Paranaguá exportou 4.046.803 toneladas de soja em grãos. Deste total, 3 milhões vieram das plantações paranaenses, que no ano passado apresentaram uma produção de 12,7 milhões de toneladas. Segundo o engenheiro agrônomo do Deral, Otmar Hubner, o Paraná deverá em 2007 exportar entre 4 milhões a 4,5 milhões de toneladas de soja pelo Porto de Paranaguá, crescimento incentivado pelo mercado internacional. “As exportações deverão ser impulsionadas pelos preços praticados no comércio externo, que está aquecido neste momento”, comentou Hubner.

Atualmente a saca de 60 quilos está sendo comercializada a R$ 29 em média, no Paraná, mas o valor deverá cair em virtude do aumento da produção. No Estado, os preços variam de R$ 28 a R$ 32 a saca.

Milho:

Há exatos sete anos, o Paraná firmou-se como o maior exportador de milho do País, responsável por 70% a 80% do cultivo nacional. Em 2006, as exportações paranaenses alcançaram patamares que confirmaram esta posição de destaque, com 3,4 milhões de toneladas embarcadas, o equivalente a 76% das exportações brasileiras.

Segundo a engenheira agrônoma do Deral, Margorete Demarchi, o último dado apresentado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostra uma estimativa de exportação de 6,5 milhões de toneladas de milho. “O Paraná poderá responder por 4 milhões de toneladas deste total, volume 30% superior ao ano passado.

O aumento é resultado da sua representatividade no mercado nacional e do bom potencial produtivo. Apesar de ainda faltar 70% da safra de milho para ser colhida e a safrinha ainda estar sendo plantada, nossa expectativa é positiva e aponta para novo recorde de exportações”, declarou.

Desde janeiro até o início desta semana, o Porto de Paranaguá exportou 443.070 toneladas de milho, volume 200% superior ao verificado no mesmo período de 2006, quando foram embarcadas 147.395 toneladas do produto.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink