PR alerta sobre fertilizantes comercializados fora dos padrões

Agronegócio

PR alerta sobre fertilizantes comercializados fora dos padrões

Em 2008 foram analisadas 750 amostras, sendo que 23,2% estavam foram dos padrões
Por:
490 acessos

O elevado índice de fertilizantes fora dos padrões comercializado no Paraná fez com que a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento emitisse um alerta aos produtores rurais para que fiquem atentos na hora de adquirir este tipo de insumo. E que só comprem produto de qualidade, de origem comprovada.

Desde 1991, a Secretaria fiscaliza o comércio de fertilizantes no Estado e, de acordo com o último levantamento, constatou que boa parte produtos utilizados nas lavouras do Estado está fora dos padrões de conformidade, como exige a lei.

Segundo o engenheiro agrônomo Eduardo Scucato, responsável pela área de fiscalização de fertilizantes e afins, da Secretaria da Agricultura, a principal causa de reprovação dos produtos se encontra no nutriente fósforo. “Mesmo com dados parciais, nos primeiros seis meses desse ano verificamos a repetição dessa irregularidade. Das 179 amostras analisadas, 22,3% foram reprovadas”, adiantou o técnico.

Em 2008 foram analisadas 750 amostras, sendo que 23,2% estavam foram dos padrões. Em 2007 também se verificou o mesmo problema. Das 700 amostras analisadas 21,0% foram reprovadas.

Para Scucato, isso significa que desde que a fiscalização vem sendo feita, cerca de 18% dos fertilizantes utilizados pelos agricultores paranaenses são deficientes em fósforo, potássio e nitrogênio, nutrientes necessários e indispensáveis para o desenvolvimento das plantas.“A baixa qualidade dos fertilizantes afeta a todos, sejam produtores rurais ou a sociedade em geral”, alertou Scucato.

O Paraná é o único estado do país a executar esse tipo de fiscalização. O trabalho é feito com base na Lei Estadual n° 9.056/89, que prevê aplicação de multas, advertência, apreensão do produto, entre outras punições. Até o final deste ano estão previstas 945 coletas de amostras e 1700 fiscalizações a estabelecimentos comerciais, em todo o Estado.

De acordo com o chefe da Divisão de Fiscalização e Insumos do Departamento de Fiscalização e Sanidade Agropecuária da SEAB, Adriano Riesemberg, o controle tem como objetivo assegurar a comercialização com produtos de boa qualidade. Esse procedimento é feito por meio de educação e divulgação; de fiscalização com coletas de amostras em comerciantes e produtores rurais; com a pronta retirada do comércio de insumos falsificados, fraudados ou de baixa qualidade; e também com a manutenção atualizada do cadastro dos comerciantes.“Com a fraude, quem sai prejudicado é o agricultor, pois paga por um produto que não vai lhe trazer o benefício esperado em relação à produtividade de suas lavouras ou pastagens”, explicou Riesemberg.

Para saber mais sobre a qualidade dos fertilizantes, busque orientação da SEAB/DFI, (Divisão de Fiscalização de Insumos) nos 20 Núcleos Regionais, ou ainda pela internet, através do sitio: www.seab.pr.gov.br, (insumos/fertilizantes/lotes reprovados).

BOX
Para garantir um bom produto o agricultor deve estar atento às seguintes observações:

Exija nota fiscal na hora da compra e observe os dados contidos na nota ou na embalagens; tais como número do lote, garantias da fórmula, validade, número de registro, marca, natureza físcia (sólido, pó, farelado, mistura de grânulos, granulado, etc...);

Verifique as condições das embalagens (devem ser boas, sem rasgos e com boa resistência, e as condições de umidade do produto ( sem umidade elevada ou melado); além das condições relacionadas à à natureza física (quanto ao empedramento ou quantidade de partículas finas ou grossas em excesso);

Compre de comerciantes cadastrados na SEAB e/ou estabelecimentos registrados no MAPA. Evite adquirir produtos de vendedores desconhecidos;

Não compre produto sem registro no MAPA, para evitar o risco de adquirir produto de origem desconhecida (oriundos de roubo/furto);

Se possível faça um bom contrato ou pedido de compra, vinculando a análise do produto.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink